“Ruminações poéticas sobre o Essencial” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Um monge e um açougueiro brigam no interior de cada desejo.

Cioran, Silogismos da amargura

O que dizer
do Essencial?
Esse ponto indeterminado,
não-horizonte
do Ser, essa
zona de incerteza
vertigem
turbulência
Abismo
fonte de impureza,
em que Espírito e Vida
se matam,
engendram,
multiplicam-se,
diminuem e se
dilatam,
no ritmo de um
demonismo bestial
no dinamismo da vida,
nessa idiotia vital.