Uma vida, uma obra

downloadEm homenagem à professora María Liliana Herrera Alzate (1960-2019), falecida em 20 de setembro de 2019, o Portal E.M.Cioran 🇧🇷 inaugura o especial  Espaço M. Liliana Herrera. É, antes de tudo, uma homenagem à poeta, filósofa, professora, tradutora, curadora cultural, conhecedora e importante estudiosa da obra Cioran — entre tantas outras atividades, virtudes e facetas dessa pequena gigante, dessa grande mulher, mestra, amiga, irmã mais velha que nunca tive.

M. Liliana Herrera formou-se em filosofia pela Universidad de Caldas (1983), fez mestrado (1989) e doutorado (2001) em filosofia pela Pontificia Universidad Javeriana. Na década de 1980, lecionou na Universidad de Manizales e, desde 1993 até o seu falecimento, foi professora titular do departamento de filosofia da Universidad Tecnológica de Pereira, na Colômbia.

Tendo descoberto a obra de Cioran em 1979 (coincidentemente, no ano em que eu nascia), quando era ainda uma estudante de graduação em filosofia, Liliana é provavelmente a primeira e a principal leitora de Cioran, no âmbito da recepção colombiana do autor romeno de expressão francesa. “As ressonâncias espirituais, psicológicas, assim como uma empatia intelectual imediatamente transformada em paixão, não tardaram a chegar”, diz ela na entrevista a Ciprian Valcan e Ilinca Ilian.

Desde o seu trabalho de conclusão da graduação até o doutorado, todas as suas investigações tiveram como objeto privilegiado a vida, a obra e o pensamento de Cioran. Durante toda uma década, quando a Internet ainda estava longe de ser uma realidade, Liliana correspondeu-se intensamente com Cioran por cartas manuscritas. Ele a orientava de longe, dando-lhe pistas sobre a sua obra e encorajando-a em seu trabalho acadêmico que tinha ele mesmo como objeto de investigação. No total, recebeu de Cioran cinco cartas, além de dois livros. O ilustre correspondente à distância sempre foi muito amável nas cartas, como ela sempre foi no trato com as pessoas, especialmente os convidados do Encuentro Internacional Emil Cioran.

Liliana foi uma mulher bastante ativa, atuante, polivalente. Uma de suas atividades principais, infelizmente interrompida pela doença (como todas as demais), era a organização e realização anual, do Encuentro Internacional Emil Cioran, em Pereira (cidade localizada na região colombiana do eixo cafeeiro, no departamento de Risaralda). Graças ao Encuentro, a Universidad Tecnológica de Pereira, que é uma instituição de ensino superior de ponta, tornou-se ainda mais reconhecida mundialmente como a instituição à qual o evento internacional sobre Cioran esteve vinculado.

Foram, no total, 10 edições, de 2008 a 2017, das quais tive o privilégio e a honra de participar de quatro (2013, 2014, 2015, 2017). Paralelamente ao Colóquio de Sibiu (inicialmente organizado por Eugène van Itterbeek, e em seguida por Mihaela-Gentiana Stanisor), o Encuentro de Pereira (organizado por Liliana, em parceria com Alfredo Abad, também professor de filosofia da UTP e importante estudioso de Cioran) foi um evento precursor no âmbito dos estudos internacionais sobre a vida, o pensamento e a obra de Cioran.

O Encuentro reuniu, ao longo de 10 anos, os mais importantes estudiosos de Cioran, das mais diversas nacionalidades: Mihaela-Genţiana Stănişor (Rom), Ciprian Vălcan (Rom), Joan M. Marín (Esp), Aurélien Demars (Fra), Răzvan Enache (Rom), Roch Little (Can), Ger Groot (Hol), entre tantos outros. Natural e progressivamente, o evento teve o seu escopo temático ampliado, tornando-se um carrefour, um ponto de encontro, diálogo e debate entre representantes das mais diferentes nacionalidades e culturas, com destaque para o diálogo intercultural Colômbia-Romênia.

Muitas importantes figuras, para além do universo acadêmico de estudos cioranianos, passaram pelo Encuentro para trazer um pouco da cultura romena ao público do evento, composto não apenas de colombianos. Em ocasião do IX Encuentro, em 2016, Liliana foi homenageada pelo embaixador da Romênia na Colômbia, que compareceu para prestigiar o evento e dar honras ao mérito à organizadora.

Liliana foi uma escritora e autora prolífica. No campo da poesia, publicou La caricia inacabada (1985) e Elusivas (1994). Escreveu também um livro sobre o gênero musical da balada: La balada. Una aproximación (1991). Sobre Cioran, publicou Cioran: lo voluptuoso, lo insoluble (2003), fruto da sua tese de doutorado, além dos diversos volumes de artigos reunidos nos anais do Encuentro Internacional Emil Cioran:

Cioran, ensayos criticos (2008), Cioran en perspectivas (2009) Encuentro Internacional Emil Cioran 2008-2011 – Compilación (2012), En torno a Cioran: nuevos ensayos y perspectivas (2014), Encuentro Internacional Emil Cioran. Ponencias 2014-2015-2016 (2017). Graças à generosidade de Liliana, a biblioteca da PUC-SP possui um exemplar de todas estas compilações, com exceção da última, disponível apenas em formato eletrônico (Pdf).

Liliana era filósofa de formação e de vocação. E poeta. Tinha uma alma lírica, transbordante, intensa, cética e mística ao mesmo tempo: cioraniana. Uma mulher encantadora, cativante, adorável, e que, além de tudo, possuía a a virtude (ou seria arte) da hospitalidade, da recepção, do acolhimento, de tal modo que faria inveja numa grega da Antiguidade. Após a jornada de conferências e debates, as recepções, os coquetéis, os jantares, e sobretudo a música ao vivo, no requinte da sua casa nos arredores de Pereira: lembranças divinas para levar no coração, para sempre.

María Liliana Herrera: poeta, filósofa, professora, esposa, amiga. Essa grande mulher que nos deixou (e que deixou o meu mundo mais vazio, menos interessante) nunca será suficientemente homenageada e lembrada. Este Espaço é uma tentativa modesta, um gesto tímido, desajeitado como sempre, mas de coração, no sentido de homenageá-la e manter vivo o seu (cioraniano) espírito, a sua (colombiana) memória.

Conheci Liliana em setembro/outubro de 2013, por ocasião do VI Encuentro Internacional Emil Cioran. Desde então, aprendi muito — sobre Cioran, sobre mim mesmo, a vida e a morte, a rudeza do absurdo e a delicadeza do mistério — com essa mestra, amiga, companheira e irmã mais velha que nunca tive. Desde então, sobretudo, foi o início de uma amizade perene e profunda, diria mesmo imortal, pois transcende a morte e a finitude, em direção à época do espírito. Devo muito a Liliana Herrera, e também a Carlos Alberto Ossa, o esposo, outro grande amigo, homem paradigmático, meu modelo de ser humano.

Escopo do Espaço M.L.H.A.: argumento

Carlos Alberto Ossa e Liliana Herrera (2016)
Carlos Alberto Ossa e Liliana Herrera (2016)

O Espaço M.L.H.A. reunirá, primariamente, todo e qualquer conteúdo relacionado a María Liliana Herrera Alzate, seja de sua própria autoria ou de outrem, artigos acadêmicos ou textos de outras naturezas. Também será reunido aqui tudo o que estiver relacionado ao Encuentro Internacional Emil Cioran, em suas distintas edições.

Em terceiro lugar, funcionará como plataforma de publicação e base de dados de todo conteúdo que, de alguma maneira, mais ou menos indiretamente, situar-se na intersecção entre a Colômbia e a Romênia, tanto no que concerne aos estudos cioranianos em particular quanto no âmbito do diálogo intercultural de modo geral.

De certa forma, este Espaço pretende apresentar Liliana Herrera, dentro do Portal E.M. Cioran 🇧🇷, como sinônimo de Colômbia 🇨🇴.

O Espaço M.L.H.A. também abrigará conteúdo relacionado a Poesia feminina (escrita por mulheres) e a Filosofia feminina (idem): todo conteúdo relacionado a poetas e filósofas do sexo feminino, seja de sua autoria ou de outrem (estudos, análises, etc.).

Por fim, será também como um “altar”, um “santuário”, um espaço religioso de reverência e homenagem à mestra e amiga falecida. Portanto, reunirá necrológios, homenagens e outros textos dedicados à memória de Liliana.

Não será uma página estática, mas dinâmica orgânica, constantemente alimentada, cultivada, atualizada, tal como um jardim que se rega, se semeia e se vê florescer… Assim, aos poucos, separarei e reunirei, e na medida do possível traduzirei ao português, tudo o que houver disponível de Liliana (artigos, entrevistas, etc.) em matéria de estudos cioranianos e temas afins.

Para inaugurar este Espaço M.L.H.A., compartilamoso um vídeo, gravado em um dos Encuentros, em que o radialista, poeta e fotógrafo José (Flaco) Marín, grandíssimo amigo de Liliana, recita as palavras de Cioran que servem de epígrafe a um texto de Liliana: no caso, uma “Alusiva cioraniana” a propósito do Breviário de sonetos que Héctor Escobar Gutiérrez, poeta pereirano “maldito” (e, graças a Liliana, também cioraniano), dedicou ao pensador transilvano.

Cioran: … La libertad (…), no tener obligaciones ni responsabilidades, hacer sólo lo que quiero, no tener horarios, no escribir más que sobre las cosas que me interesan. Y no tener más objetivos que ésos.
Liiceanu:¿Y ése es el único éxito del que se enorgullece? ¿Haber hecho sólo lo que ha querido?
Cioran: ¡Éso no está nada mal!

Entrevista con Gabriel Liiceanu