Só existe humanidade no clima benévolo e compreensivo das dúvidas. Envolvendo a alma e o mundo numa doce inanição interminável, elas nos defendem da brutalidade dos credos e da intolerância inerente a qualquer delírio. É verdade que o fanatismo é o motor da história, mas o ritmo que impõe aos acontecimentos e aos homens se paga tão caro e o resultado é tão frágil que uma dissolução interminável é infinitamente preferível à epilepsia eterna da falsa renovação. Enquanto o ceticismo permite e tolera a loucura de cada um, o fanatismo converte em norma a fúria individual. O instinto convulsivo se torna autoridade; a patologia, lei. Na religião, na política, na moral, o fanatismo cria absolutos monstruosos, sucedâneos sanguinários da divindade. […] Quem não tem simultaneamente um sorriso e uma careta de sarcasmo para o seu “ideal” se instala necessariamente fora do espírito. Só uma irônica reverência a nossas ambições pode salvar-nos da vulgaridade. Por suas consequências, uma crença descontrolada é mais bestial que a extrema paixão.

CIORAN, Emil, Extravíos. Trad. de Christian Santacroce. Madrid: Hermida Editores, 2018.

Publicado por:Portal E.M.Cioran/Br

Deixe aqui suas impressões, comentários e/ou críticas. Deja aquí sus impresiones, comentarios y/o críticas. Leave your impressions, comments and/or critiques here. Laissez ici vos impressions, commentaires et/ou critiques. Lăsați-vă impresiile, comentariile și sau recenziile aici. Lascia qui le sue impressioni, commenti e/o recensioni.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s