Anedotas

“Eu estava em Brașov, uma cidade de província da Romênia, e lia Shakespeare. Decidi que só falaria com Shakespeare, e ia todo dia ler em um café. Uma vez, o professor de ginástica sentou-se à minha mesa. Eu lhe perguntei: Quem é você? E ele: Não me reconhece? Sou o professor de ginástica. Como assim, você não é Shakespeare? Vá embora, então! E ele saiu falando que Cioran se recusou a falar com ele porque ele não era Shakespeare! Eu era realmente meio louco.”

CIORAN, Entrevista com Lea Vergine

§

“O senso de humor era um aspecto fundamental do seu caráter. Às vezes dizia coisas divertidíssimas, desconcertantes, bem romenas, absurdas, como as do teatro de seu amigo Ionesco. Em seus escritos também há muito humor. Mas há gente que não o via assim, que o tomavam ao pé da letra. Eu o advertia que tal senhor não tinha seu senso de humor e lhe sugeria que não fizesse brincadeiras. Se estava alegre, gostava de fazer brincadeiras desconcertantes. Uma vez disse a um garçom que a sopa estava tão boa que serviria para fazer desistir um suicida. E como Emil ficava sério, as pessoas o achavam louco.”

Simone BOUÉ, Cioran, el Pesimista Seductor

§

“Cioran manteve até o final algo da criança que choca os adultos. Possuía uma candura extraordinária. Sem ir mais longe, um dia minha prima Suzana Greslou lhe anunciou que esperava um filho, ao que Cioran, verdadeiramente aterrado, exclamou: ‘Que catástrofe!’ Desde então, ela não quis mais saber dele.”

Ion VARTIC, Cioran ingenuo y sentimental

Anúncios