“A melancholic exile: Emil Cioran and the feeling of nostalgia” (Paolo Vanini)

Abstract: This article aims to investigate the relationship between nostalgia, solitude, and skepticism in Emil Cioran’s thought. In the first place, we will examine how the concepts of Sehnsucht, saudade and dor are interpreted by Cioran as similar forms of radical nostalgia. In the second place, we will see how the skeptical attitude of doubting…

Leia mais

“Tired of waiting to make a profit online?” – The Mad Men & Us

When the solitude is intensified to the point of constituting not so much our datum as our sole faith, we cease to be integral with the whole: heretics of existence, we are banished from the community of the living, whose sole virtue is to wait, gasping, for something which is not death. CIORAN, A Short…

Leia mais

“Tristesse automatique, robot elegiaque” (Cioran)

Chegamos num ponto da história da tecnociência, particularmente da inteligência artificial, em que é necessário atualizar e substituir o Teste de Turing: doravante seria o Teste de Cioran, para medir a capacidade de um robô de se comportar como um ser humano, sem que o observador perceba a diferença (ou seja, que é um robô…

Leia mais

“Desejo e Horror da Glória” avant la lettre (E.M. Cioran)

“Désir et horreur de la gloire” é um dos ensaios que compõem La chute dans le temps (1964), livro que sucede diretamente a História e utopia (1960) no qual este tema (tão “adâmico”) já se encontra enunciado e problematizado, antecipando o que virá a seguir. Trata-se da dualidade-contradição — inconciliável — entre o desejo e…

Leia mais

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 4] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

A ideia do suicídio e a escritura filosófica como auto-análise Perguntam-me: “Você está trabalhando? – Sim, num artigo sobre o suicídio.” – Minha resposta tira das pessoas a vontade de saber mais.[1] Trata-se, por fim, do último desafio da lucidez: a permanência e a perseverança na vida quando esta é entendida como um “estado de…

Leia mais

O que há num nome? Cioara, noroc!

CIORAN é um sobrenome romeno (há outras famílias de mesmo nome, inclusive uma atriz e celebridade, Christina Cioran) que parece, por um lado, cioban, ou seja “pastor” (de ovelhas, mioara) em romeno, e por outro cioara, “corvo” (trocadilhos amiúde explorados por seus biógrafos e exegetas). C-I-O-R-A-N, ao contrário, é N-A-R-O-I-C, que parece noroc, que em…

Leia mais

“A Queda no Tempo”, por Laerte Coutinho

Desde Adão, todo o esforço dos homens tem sido por modificar o homem. As pretensões de reforma e de pedagogia, exercidas à custa dos dados irredutíveis, desnaturam o pensamento e falseiam seu devir. O conhecimento não tem inimigo mais encarniçado do que o instinto educador, otimista e virulento, ao qual os filósofos não saberiam escapar:…

Leia mais

Zeflemea, derrisão balcânica

O dicionário romeno Dex define assim o substantivo feminino zeflemea: ironia sutil, troça, piada jocosa. Mofar-se de, zombar de alguém, rir-se de. Zeflemea é uma forma de derrisão, ironia ou sarcasmo, tipicamente balcânica. Em francês, costuma-se traduzir por uma palavra que também existe em português: boutade, tirada espirituosa ou engraçada, pensamento ou dito sutil, original e…

Leia mais

“Uma modesta proposta” (Jonathan Swift)

É motivo de melancolia para aqueles que passeiam por esta grande cidade, ou que viajam pelo campo, verem nas ruas, nas estradas, e às portas das barracas, uma multidão de pedintes do sexo feminino, seguidas por três, quatro, ou seis crianças, todas em farrapos, a importunarem cada passante pedindo esmola. Estas mães, não sendo capazes…

Leia mais

“Ecumenismo da desilusão” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Todos são bem-vindos, independente de ideologia política, orientação sexual, consciência de classe, tipo sanguíneo, religião, time de futebol (sou corinthianista). De fato, Cioran é um autor que agrada “gregos” e “troianos”, mas que também é do tipo ame ou odeie. Não é necessário ser algoritmo para saber a religião de uma pessoa baseado em suas…

Leia mais

“Elogio da mosca” (Luciano de Samósata)

(n.t.), ano viii, vol. 1, junho/2017 O TEXTO: Os estudiosos da obra de Luciano e do movimento retórico- filosófico do qual ele participara, a Segunda Sofística, costumam classificar o Elogio da Mosca como um elogio paradoxal. Trata-se de um desafio retórico (havia concursos voltados a esse tipo de texto) cujo intuito é pegar um objeto…

Leia mais

“O espírito negativista” (G. K. Chesterton)

Muito tem sido dito, e com verdade, a respeito da morbidez do ascetismo, a respeito da histeria  que frequentemente acompanha as visões de eremitas ou de freiras. Contudo, nunca nos esqueçamos que essa religião visionária é, em certo, sentido, necessariamente mais saudável que nossa sábia e moderna moralidade. É mais saudável por poder contemplar a…

Leia mais