Cavaillès, Nicolas

Cioran malgré lui – écrire à l’encontre de soi, de Nicolas Cavaillès

CNRS Éditions, Paris, 2011
.

Cioran restituído em todos seus paradoxos. Cioran que, confrontado com o escândalo de uma existência radicalmente absurda, encontra um remédio na aliança inédita de imprecações e elegância. É analisando o seu primeireo livro em francês, Précis de Décomposition (1949), que Nicolas Cavaillès desvela toda a singularidade do pensador.

Livro da descoberta entusiasta e conquistadora de uma nova gramática, livre válvula-de-escape, ultimato à vida e « terapêutica pelo fogo » : Précis de Décomposition marca um ponto de não-retorno na luta do autor contra a existência, e sobretudo contra ele mesmo. Suicida, decomposto, corrompido, esteta, enraivecido, jogador, Cioran multiplica aí os eus que a vida exige que se assuma a cada dia sob um mesmo rosto. Sorrindo sem se trair, chorando sem se ridicularizar, distorcendo-se sem afundar na monstruosidade. Nenhum lugar melhor que os manuscritos do Précis para apreender a impressionante intensidade dessa escritura.

Doutor em Letras, Nicolas Cavaillès é autor de múltiplos trabalhos sobre Cioran, e maître d’oeuvre de sua edição na « Pléiade ».