HERRERA, M. L.; ABAD T., A.

Paraδοξα Revista de Filosofía no. 9: E.M. Cioran, por Maria Liliana Herrera e Alfredo Abad Torres (org.)

Universidade Tecnológica de Pereira (UTP): Pereira, Colômbia, 2005.

Filósofo, pensador, cético, iconoclasta, parecem ser qualificativos que não dizem mais nada sobre Cioran, há dez anos de sua morte. Restam seus textos que se desdobram em interpretações múltiplas, talvez tão desprezíveis para ele, mas tão necessárias a seus leitores, os mesmos que nesta seleção que publicamos, quiseram dialogar con ele, pois não é outra a forma como se aborda um texto. E através desses diálogos, Paraδοξα pretende dar continuidade a uma série de olhares críticos que enriquecem sobremaneira o panorama interpretativo da obra de Emil Cioran. As vozes se chamam, se lamentam, se regozijam, se requebram e, por fim, se tornam processos  que recordam a mesma cartase do autor, sua necessidade de uma escritura como meio de evasão, de des-locamento, de terapia em meio ao ennui.

Seus leitores o interpretam, o recriam, sem que perca sua pertinência num mundo em que seu pensamento não deixa de lacerar os lugares comuns, a comodidade moral, a simplicidade intelectual e, é claro, os ridículos especulativos da filosofia mesma. Daí que sua leitura tende a ser incômoda para aqueles que ainda se ocupam de estabelecer pressupostos, de encontrar âncoras, de posicionar ideologias.

Esta edição é um breve tributo a quem não necessita de nenhum.

Tradução do espanhol: Rodrigo Menezes

Anúncios