NÁJERA, José I.

El Universo Malogrado – Carta a Cioran

de José Ignácio Nájera, Tres Fronteras Ediciones, 2008 (Murcia, Espanha)

Uma carta? Sim, uma longa e pautada carta de agradecimento, de admiração e também de recriminação. El Universo Malogrado é a soma de todas essas coisas dirigidas a Cioran, um dos pensadores contemporâneos que melhor revelou o erro que é este universo em que estamos instalados. Assim, a beleza da natureza é só um débil contraponto à sua crueldade, e a exuberância da Vida, um mero disfarce da sua absurda voracidade. E se nos elevássemos ao Alto, nos encontraríamos com uma divindade abominável, e com anjos que não passam de demônios vergonhosos. Eis a paisagem sub e supralunar em que se debate esse bando de macacos arrogantes que somos nós, os humanos. A chamada vida social e cultural também é o conjunto de delitos que cometemos uns contra os outros, seja com o punhal, seja com a palavra. Aqui está uma antecipação sintética desa missiva de Nájera a Cioran. Uma carta, pois, em que se registra um pensamento que se recria contra todo o criado. (da contracapa do livro)

José Ignacio Nájera nasceu em Xauen (Marrocos), em 1951 e vive em Murcia desde 1979. É doutor em filosofia e professor dessa matéria no Instituto Alfonso X el Sabio da referida cidade. Publicou os romances Olvidate de Alcibíades, Hermanos mayores e El enfermo epistemológico. Em 2005, ganhou o prêmio de ensaio “Miguel Espinosa” com a obra Caminos de otoño. Colaborou em diversas revistas com artigos, resenhas e narrativas curtas.

Tradução do espanhol: Rodrigo Menezes

Anúncios