Admiration (1986)

Exercises d’admiration – Essais et portraits (1986)
.

“Exercícios de admiração – Ensaios e Perfis”
1ª edição brasileira: Editora Guanabara, Rio de Janeiro, 1988
Tradução de José Thomaz Brum
.

Exercícios de admiração reúne os artigos e prefácios que Cioran escreveu sobre outros escritores. O livro apresenta uma série de perfis daqueles com quem o filósofo se harmoniza por estilo e amizade, como Beckett, Michaux e Ceronetti, e daqueles que o interessam por contraste — Eliade, Saint-John Perse e Fitzgerald. Dentre os textos do livro, dois se destacam: o longo Ensaio sobre o pensamento reacionário, publicado em 1957 como prefácio a uma antologia de textos de Joseph de Maistre, e a plaqueta sobre Paul Valéry, onde encontramos, entre as reservas que Cioran faz ao poeta, a expressão de suas próprias contradições.

Livro que expressa um itinerário de vida e de pensamento, Exercícios de admiração inserem Cioran como um mestre na arte do portrait, do retrato literário, na linha de Sainte-Beuve, Thomas de Quincey e outros. E, além disso, em um texto chamado Confissão resumida encontramos a concepção cioranesca da literatura. Uma curiosidade é o fato de que foi apenas com a publicação desse livro em uma coleção de bolso da Gallimard chamada Arcades que o sucesso de Cioran alcançou um público maior e que ele passou a ser realmente conhecido e traduzido no mundo inteiro. E foi também com este livro que ele passou a assinar simplesmente Cioran, em vez de E. M. Cioran.

Resenha do livro por Marcelo Coelho (Mais!, Folha de S. Paulo, 26 de novembro de 2000)

Anúncios