Amăgirilor (1935)

Cartea Amăgirilor (1935)

Um ano após o seu primeiro livro, Cioran escreve Cartea Amăgirilor (algo como “O Livro das Ilusões”), que é publicado pela editora Cugetarea (“Pensamento”) de Bucareste. À essa época, após retornar de uma temporada de estudos na Alemanha, Cioran torna-se professor de filosofia num liceu de Brasov, na Romênia. Um ano depois, se instala na França.

Mais do que no primeiro livro, é aqui que aparece pela primeira vez a forma que irá caracterizar o estilo de Cioran: o aforismo breve considerado como meio de expressão privilegiado de uma verdade paradoxal e fugitiva. Mas descobrimos principalmente uma paleta desconcertante de figuras – ensaio, prosa poética, prosopopéia, prece, etc. – sucessivamente convocadas para traduzir uma experiência interior perturbadora, uma noite do espírito, que se abre para a revolta e se completa no silêncio.

Cartea Amăgirilor foi publicado na França, pela Gallimard, em 1992, com o título de Le Livre des Leurres, e traduzido por Thomas Bazin e Grazyna Kleweck.