Chestov e a razão

Folha de São Paulo, 14 março 1978 Já tive ocasião de apontar que em Plotino encontramos a melhor, ou antes, a mais completa definição de filosofia. A pergunta – que é filosofia? – ele responde: – “To timiotaton” (o que mais importa). Essa definição destrói, logo de início e, ao que parece, não intencionalmente, as…

Leia mais

Leia texto de Dostoiévski inspirado em Natal na prisão

Trecho é de ‘Escritos da Casa Morta’, antes traduzido como ‘Memórias da Casa dos Mortos’ [SOBRE O TEXTO] Fiódor Dostoiévski era um nome promissor nas letras russas quando foi preso, em 1849, aos 28 anos. Condenado ao fuzilamento por frequentar um círculo de pensadores críticos ao czarismo, teve sua pena comutada, passando quatro anos no presídio…

Leia mais

“O louco razoável de Chesterton” (Paulo A. G. de Souza)

Folha de S. Paulo, Caderno Mais!, 13 de fevereiro 1994 Em artigo intitulado “Chesterton suspende crença na sanidade” (Folha, 26 de janeiro), Marcelo Coelho, ao comentar os paradoxos de Chesterton, confunde dois sentidos do termo “paradoxo” e, com isso, torna sua análise obscura. Pois veja: Quando Chesterton, segundo Marcelo Coelho, nega a crença de que…

Leia mais

“Assassinato em Chicago” (Umberto Eco)

Folha de S. Paulo, 04 de janeiro de 1998 No dia 21 de maio de 1992, Ioan Culianu, um jovem e brilhante professor de história da religião da Faculdade de Estudos Religiosos da Universidade de Chicago entrou na ante-sala de seu departamento. De cima do vaso sanitário, uma pessoa munida de uma Beretta .25 mirou…

Leia mais

“Quem foi Cioran” (Folha de S. Paulo, 02/07/1995)

DA REDAÇÃO O filósofo Emil Michel Cioran nasceu a 8 de abril de 1911 em Rasinari, uma pequena cidade na Transilvânia (Romênia), e morreu no dia 20 do último mês, em Paris, onde passou a viver em 1937. Desde a adolescência começou a estudar filosofia e a sofrer a influência das idéias de Schopenhauer, Nietzsche,…

Leia mais

“Filósofo romeno Emile Cioran morre na França aos 84 anos” (Folha de S. Paulo, 21 de junho de 1995)

DAS AGÊNCIAS INTERNACIONAIS Publicado no caderno Ilustrada, Folha de S. Paulo, quarta-feira, 21 de junho de 1995 O filósofo romeno Emile Cioran morreu ontem aos 84 anos em um hospital de Paris, segundo informou sua editora francesa, a Gallimard. O filósofo sofria do mal de Alzheimer e já não escrevia há alguns anos. Cioran vivia…

Leia mais

Morre Emil Cioran, o arauto do pessimismo

Folha de S. Paulo, caderno “Ilustrada”, 21 de junho de 1995 DA REDAÇÃO; COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS O filósofo romeno, autor de ‘Silogismos da Amargura’ e ‘Breviário de Decomposição’, estava com 84 anos O filósofo romeno Emil Cioran morreu ontem aos 84 anos em um hospital de Paris, segundo informou sua editora francesa, a Gallimard. O filósofo…

Leia mais

“Cioran profetiza os fracassos das utopias” (Marcelo Coelho)

Folha de S. Paulo, caderno “Ilustrada”, 31 de agosto de 1994 Os pessimistas costumam ser bons profetas. Pessimista profissional, pessimista voluptuoso e maníaco, o escritor francês de origem romena E.M. Cioran é conhecido do público brasileiro pelos seus “Silogismos da Amargura” e pelo “Breviário de Decomposição”, ambos publicados pela editora Rocco. Acaba de sair, na…

Leia mais

A insônia da razão (Caderno Mais! – 12/02/1995)

“Ser desconhecido é uma volúpia” (entrevista publicada no extinto suplemento cultural Mais!, da Folha de São Paulo, 12/02/1995) — Fonte original Foi assim que consegui resolver o meu problema e tudo isso foi necessário para viver sem exercer uma profissão. Mas tudo isso acabou, os moços, hoje, não têm mais essa possibilidade. Tem moços que vêm…

Leia mais

“O segundo nascimento de Cioran” (Manuel da Costa Pinto)

Folha de São Paulo, 29/05/2011 Primeiro livro em francês e “História e Utopia” celebram centenário do pensador romeno O dia 8 de abril marcou os cem anos de nascimento de Emil Cioran. Os dois relançamentos que comemoram a data, porém, sugerem que o filósofo romeno, morto em 1995, teve um segundo nascimento, ao trocar a…

Leia mais

“O castelo do terror metafísico” (Caio Liudvik)

Guia da Folha, Folha de São Paulo, 27 agosto 2011 “Só uma geração desiludida poderia se entusiasmar por uma visão tão negativa da história. Só da história? Da existência em geral. É preciso reconhecer que a vida não resiste a uma interrogação séria e que é difícil, e mesmo impossível, atribuir um sentido ao que…

Leia mais

“A insônia da razão”: Entrevista com Michael Jakob

Emil Cioran, o filósofo do desespero e do não-sentido da existência, fala sobre sua trajetoria intelectual em entrevista a sair este ano na França. Em 17 de fevereiro de 1995, o extinto caderno Mais! da Folha de São Paulo faria um dossiê sobre Cioran, pouco antes de seu falecimento. A matéria saiu a título do…

Leia mais