“Entre o esgotamento e o devir” (André Fogliano)

Galaxia (São Paulo, Online), n. 29, p. 308-313, jun. 2015 PELBART, P-P. O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento. São Paulo: N-1 Edições, p.345, 2013. Resumo: O avesso do niilismo é um rigoroso diagnóstico dos afetos que o governo niilista da vida aciona. O objetivo do estudo é, a partir da relação entre niilismo e…

Leia mais

“Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

O Globo, 20 de janeiro de 1996 A filosofia de Cioran não constitui uma arquitetura abstrata de conceitos ideais. Meditação fundamentalmente impura, deriva de um estado de espírito, de uma obsessão mais do que se uma ideia a priori. Filósofo que parte dos afetos, das “misérias do eu”, Cioran conheceu, em sua reflexão errática, momentos…

Leia mais

“No inferno, com Foucault” (Fabiano Maisonnave)

REVISTA PIAUÍ, no. 152, maio 2019 Eram três da tarde de 21 de março, quinta-feira, quando a mestranda em letras Cris Guimarães Cirino da Silva iniciou a apresentação do resumo de sua futura dissertação num seminário interno na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em Manaus. Para duzentas pessoas, ela projetou na tela o título provisório…

Leia mais

“Barthes, Cioran, Bataille et ‘la transcendence’ qui ne cesse de s’écrire… de l’autre à l’absolument autre” (Gabriel Popescu)

Cahiers Emil Cioran – Approches Critiques, VII, Editura Universităţii “Lucian Blaga” (Sibiu); Les Sept Dormants (Leuven), 2006 Argument Inspire par “l’interminable”, “l’incessant’” dans la theorisation obsessive de Blanchot — à observer que la demarche qui suivra se situera dans la trace de l’auteur de l’Espace litteraire sans que, pour autant, elle ait la pretention d’etre…

Leia mais

“The Nihilist as a Not-Man. An Analysis of Psychological Inhumanity” (Ştefan Bolea)

Philobiblon – Transylvanian Journal of Multidisciplinary Research in Humanities, vol. 1, no. 1, January 2015 “I was man and I no longer am now…” (E.M. Cioran, The Twilight of Thoughts) Abstract: A new philosophical and psychological concept is needed for the alienated and radically different human being according to the nihilist Romanian-French philosopher E.M. Cioran.…

Leia mais

“A coragem da verdade: a relevância da arte-de-viver de Diógenes, o ‘Cão’, segundo Michel Foucault, Emil Cioran e Luis Navia” (Eduardo Carli de Moraes)

Publicado originalmente em A CASA DE VIDRO:
Diógenes de Sínope (413 – 323 a.C.), Pintura de Jean-Léon Gérôme Se viver é uma arte, Diógenes certamente merece ser reconhecido como um dos mais radicais experimentadores neste campo, o da estética da existência. O lendário filósofo que morava em um tonel e confrontava todos os valores vigentes…

Leia mais

“Léon Chestov et la pensée du dehors” (Ramona Fotiade)

Europe – Revue Littéraire Mensuelle, 87e année, n° 960 / avril 2009. BIEN AVANT Foucault, Deleuze et Derrida, il y eut, au début du siècle à peine révolu, qui allait si singulièrement faire basculer nos repères et nos certitudes, un de ces « partisans », « francs-tireurs » ou « aventuriers de la pensée »…

Leia mais

“A fanatic without conviction” (Charles Newman)

“And there, sir, lies the entire problem, to have within oneself the inseparable reality and the material clarity of feeling, to have it in such a degree that the feeling cannot but express itself, to have a wealth of words and of formal constructions which can join in the dance, serve one’s purpose-and at the…

Leia mais

“Cioran: a reflection on decadence as a lifestyle” (Angelo Mitchievichi)

DACOROMANIA LITTERARIA, IV, 2017, pp. 12–33 “All’s good if it’s excessive.” Pier Paolo Pasolini, Salò, or the 120 Days of Sodom I, the Decadent The term “decadence” generated ample debate during the nineteenth century among historians, philosophers, scholars and writers. Its derived term, decadentism – coined by the low-profile literary critic Anatole Baju and writ…

Leia mais

“A loucura e a sociedade” (Roland Jaccard)

Da Idade Teológica à Idade da Razão É um lugar-comum — mas é preciso não desprezá-los, os cemitérios são lugares-comuns — da sociologia e da etnopsiquiatria afirmar que a doença só tem sua realidade e seu valor de doença numa cultura que a reconhece como tal. Assim, por exemplo, o histérico do século XIX que…

Leia mais

“Uma vida de exercícios: a antropotécnica de Peter Sloterdijk” (Franz J. Brüseke)

Rev. bras. Ci. Soc. vol.26 no.75 São Paulo, Feb. 2011 [html] No seu mais recente livro, Você tem que mudar sua vida!, Peter Sloterdijk anuncia a virada antropotécnica (Sloterdijk, 2009). Partindo da percepção que o próprio homem geraria o homem, ele se volta imediatamente contra posições semelhantes que apontam o trabalho, a comunicação ou a interação como veículos desta autoprodução…

Leia mais

“Há dez anos morria Emil Cioran, o filósofo do nada” (Paulo Jonas de Lima Piva)

Texto publicado na revista Discutindo Filosofia no. 2, ano 2005, páginas 24-27. Conhecido como filósofo do nada, o romeno Emil Cioran produziu uma obra carregada de fina ironia e tiradas polêmicas Muitas são as tentativas de definir o pensamento estilhaçado, iconoclástico e desconcertante do pensador romeno Emil Mihai Cioran. Rei dos pessimistas, o niilista por…

Leia mais