“O emigrado metafísico: o gnóstico” (Sylvie Jaudeau)

A atitude gnóstica constitui, com efeito, a chave de uma obra representativa das tendências contraditórias deste século: niilismo, angelismo, revolta e fatalismo. Mais precisamente, ela nos fornece a resposta a esta questão que não falha em colocar-se a propósito de Cioran: como o niilismo é compatível com uma criação literária? O ato literário em si…

Leia mais

Cioran, o místico de uma era pós-Deus: entrevista com Mirko Integlia (1ª parte)

In memoriam: María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) “Às vezes tenho a impressão de que a obra de Cioran é interpretada como uma espécie de bazar, onde cada um se serve daquilo que quer, inclusive dos aspectos místicos-religiosos.” (Mirko Integlia) * [Pdf] Acaba de ser publicado, em inglês, um novo livro de exegese crítica sobre Cioran,…

Leia mais

Realidade e Irrealidade, ou o “Ecletismo do Sorriso e da Destruição” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Je suis la plaie et le couteau ! Je suis le soufflet et la joue ! Je suis les membres et la roue, Et la victime et le bourreau ! BAUDELAIRE, L’Heautontimoroumenos Si Stavrogin croit, il ne croit pas qu’il croie. S’il ne croit pas, il ne croit pas qu’il ne croie pas. DOSTOIEVSKI, Frères…

Leia mais

Perfeccionismo, “Obsessão do Essencial” e a condição fragmentária (Cioran)

Nos Cahiers (p. 73), estas 2 anotações, uma seguida da outra: Chercher l’être avec des mots!- Tel est notre donquichottisme, tel est le délire de notre entreprise essentielle. [Buscar o ser com palavras! — tal é o nosso donquixotismo, tal é o delírio de nossa empresa essencial.] Si jamais mortel a été tourmenté, supplicié par…

Leia mais

“Exegese da decadência” (E.M. Cioran)

O aforismo “Exegese da decadência” retoma — sob uma outra luz, pelo filtro de um novo idioma e da forma mentis peculiar que ele modela — a temática e a problemática de um importante texto periodístico de juventude do autor romeno do Breviário de decomposição: trata-se de Nihilism şi natura [Niilismo e natureza], publicado originalmente na revista…

Leia mais

“Pessimismo filosófico: a negatividade integrada na vida” (Ingresson Oliveira de Jesus)

Revista Pandora, no. 99, março de 2019 Resumo: O presente artigo busca apresentar a filosofia negativa de Cioran e, desse modo, desenvolver ideias sobre a produção intelectual do filósofo. O pessimismo filosófico, corrente de pensamento que caracteriza a filosofia de diversos pensadores inclui uma reflexão sobre o mundo e a physis. No contexto dessa corrente…

Leia mais

“La profundidad de Dios El nihilismo místico implícito en el pensamiento de Eckhart” (Héctor Sevilla Godínez)

Veritas. Revista de Filosofía y Teología, núm. 38, diciembre, 2017, pp. 121-140. Pontificio Seminario Mayor San Rafael, Valparaíso, Chile Resumen El principal objetivo de este escrito reside en mostrar algunos de los elementos esenciales del proyecto eckhartiano que están fusionados con una mística nihilista que observa (sin observar) en la nada una manifestación de la…

Leia mais

Cioran e a arte de não fazer nada (Mircea Lăzărescu)

Homens de Letras escrevem romances ou poesia. Os músicos se ocupam da música. Os pintores, da pintura. Neste mundo, a única coisa que restou ao seu alcance, tendo em vista a concepção de vida que ele se criou, era não fazer nada. E foi isto o que ele fez. Não fez nada. Ou seja, após…

Leia mais

“Em que acreditam os ateus?” (Juan Arnau Navarro)

EL PAÍS, 27/04/2019 As pesquisas revelam que a religião perde influência, mas isso não significa o fim do monoteísmo A frase “Sou ateu, graças a Deus” é atribuída a Buñuel e tem as duas qualidades que Sócrates reivindicava para a filosofia: ironia e maiêutica. A primeira é evidente, faz rir; a segunda joga luz sobre uma…

Leia mais

O Niilismo (Nietzsche)

1. O NIILISMO está à porta: de onde nos vem esse mais sinistro de todos os hóspedes? – Ponto de partida: é um erro remeter a “estados de indigência social” ou “degeneração filosófica” ou até mesmo à corrupção, como causa do niilismo. Estamos no mais decente, no mais compassivo dos tempos. Indigência, indigência psíquica, física,…

Leia mais

Cioran: solidão, êxtase, solidariedade (Rodrigo Menezes)

Um comentário que sempre me chamou a atenção na entrevista de Cioran a Sylvie Jaudeau, e que me parece uma chave de leitura ao essencial do pensamento insone e errático de Cioran, é o seguinte: “A única experiência profunda é a que se realiza na solidão. Aquela que resulta de um contágio permanece superficial —…

Leia mais

“Angústia absoluta, sujeito absoluto” (Emil Cioran)

Medo de tudo; medo de tudo o que existe e de tudo o que não existe! Conheceis a angústia sem motivo, a angústia que se engendra no ser sem motivo, sem justificação, a angústia de viver como tal, quando as coisas se tornam ocasião de estarrecimento e calafrio? E esse calafrio desfigura as coisas, assim…

Leia mais

“Niilismo, existencialismo, gnose” (Franco Volpi)

A obra de Heidegger oferece, com certeza, fundamental contribuição para a análise do niilismo europeu. No entanto, em última instância, ela apresenta um paradoxo singular, que é também o paradoxo de uma parte importante do pensamento contemporâneo. Nela, com efeito, parecem tocar-se e conviver dois extremos incompatíveis: de um lado, um niilismo radical; de outro,…

Leia mais

“Uma poética sobre NADA? O niilismo em Augusto dos Anjos” (Leonardo Vicente Vivaldo)

Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Faculdade de Ciências e Letras – Unesp/Araraquara, como requisito para obtenção do título de Mestre em Letras (Estudos Literários). [PDF] Lambe a ferida o animal ferido E se dissolve em língua, carne, pele, Dentes inúteis, espalhados. Cada parte reclama a sua parte De…

Leia mais

Filosofia trágica como crítica das ideologias (Clément Rosset)

Meu partido é um coração partido. Cazuza Uma única fórmula basta para caracterizar o pensamento trágico: a impossibilidade de crer que possa haver crença. E, na origem desse descrédito na crença, que acarreta para o pensamento toda uma série de consequências desastrosas que constituem o conjunto da “filosofia trágica”, ela invoca um argumento bem simples:…

Leia mais

“Cioran ou a vertigem da liberdade” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“O bem-sucedido em tudo é necessariamente superficial. O fracasso é uma versão moderna do nada. Ao longo da minha vida, estive fascinado pelo fracasso. Um mínimo de desequilíbrio impõe-se. Ao ser perfeitamente sadio física e psiquicamente falta um saber essencial. Uma saúde perfeita é a-espiritual.” (Entrevistas com Sylvie Jaudeau) “O despertar independe das capacidades intelectuais:…

Leia mais

“O homem iludido” (Rosane Pavam)

CARTA CAPITAL, 24 de junho de 2008 A leitura de alguns livros que parecem dificeis num primeiro instante pode nos trazer muitas alegrias, especialmente depois que, corajosos, nós os enfrentamos. O livro difícil pode ser como o corpo que recompensa o corredor depois de percorridos dez quilômetros. Leio porque estudo, mas, também, leio ao acaso,…

Leia mais

“Heidegger e Cioran leitores de Nietzsche: repercussões da questão do niilismo nos pensamentos do ser e do nada” (Filipe Caldas Oliveira Passos)

Revista Lampejo, nº 6 – 02/2014 FILIPE CALDAS OLIVEIRA PASSOS – Professor do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Resumo: O presente artigo aborda a influência da filosofia de Nietzsche, mais especificamente, da questão do niilismo, nos pensamentos de Heidegger e Cioran, salientando o modo como essa influência contribuiu para a divergência de…

Leia mais

“Note sul nulla: un’indagine sul nichilismo nel pensiero di Emil Cioran” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Orizzonti Culturali Italo-Romeni, maggio 2017, anno VII Senza Dio tutto è nulla. E Dio? Nulla supremo. Sillogismi dell’amarezza Che peccato che il «nulla» sia stato svalutato dall’abuso che ne hanno fatto filosofi indegni di esso! Squartamento «Il bene stesso è un male», affermò Cioran in un’intervista. Il commento, emblematico del suo pensiero metafisico, rivela una delle…

Leia mais

“Notas sobre o nada: a propósito de niilismo em Cioran” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Sem Deus, tudo é nada; e Deus? Nada supremo. Silogismos da amargura Que lástima que o “nada” tenha sido desvalorizado pelo abuso de que foi objeto por parte de filósofos indignos dele! Écartèlement Paradoxos e controvérsias “Mesmo o bem é um mal”,[1] observou Cioran numa entrevista. O comentário, emblemático do seu pensamento metafísico, dá a conhecer…

Leia mais

“Cioran’s ‘grain of ataraxy’: boredom, nothingness, and quietism” (James Farrugia)

Antae Journal, Volume 2, Issue 3, University of Malta, 11-2015 Abstract: In reading E.M. Cioran’s œuvre, one is faced with an immediate and unremitting abrasiveness that has its roots with our being born into time. Indeed, the author of The Fall into Time and The Trouble with Being Born thought that it is precisely this…

Leia mais

Uma ‘História do nada’, por Sergio Givone (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

GIVONE, S. Historia de la nada. Tradução espanhola de Alejo González e Demian Orosz. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2001. O filósofo italiano Sergio Givone (discípulo de um dos maiores filósofos italianos contemporâneos, Emanuele Severino) é autor de um estudo muito interessante sobre a História do Nada (Istoria dela nulla), uma história que se intersecciona, em muitos pontos (tardiamente),…

Leia mais

“Cioran, o nascimento e o Zen” (Massimo Carloni)

Alkemie, número 9, junho de 2012 (L’Être) Resumo: Este artigo sugere a abordagem do problema do nascimento em Cioran. Interpretando a queda do Céu como o exílio, Cioran visa a subtrair a narrativa do Gênese de sua dialética moral inocência/culpa em relação a Deus para conjulgá-lo com as profundas intuições sobre a consciência do Zen Budismo.…

Leia mais

“A narrativa de Deus nas religiões não monoteístas: um olhar sobre a Escola de Kyoto” (Faustino Teixeira)

Publicado no livro eletrônico do Instituto Humanitas: X Simpósio Internacional IHU. Narrar Deus numa sociedade pós-metafísica, pp. 916-937. Republicado no website da Monja Coen. Artigo do Prof. Dr. Faustino Teixeira – PPCIR-UFJF Introdução Em instigante artigo, Scott Randall Paine desenvolve a complexa questão do desafio do Oriente para a filosofia ocidental. Argumenta em favor de…

Leia mais