Evento: “Dio e il Nulla. La religiosit脿 atea di Emil Cioran”

An煤ncios

IV Col贸quio Internacional sobre Filosofia Oriental: A Filosofia da Escola de Kyoto e suas fontes orientais

cartaz-22-08

Promo莽茫o

Departamento de Filosofia 鈥 Unicamp
Programa de P贸s-gradua莽茫o em Filosofia 鈥 PPGFIL 鈥 Unicamp
Programa de Doutorado em Ci锚ncias Sociais (China/Brasil) 鈥 Unicamp
Grupo de Pesquisa sobre Pensamento Japon锚s 鈥 GPPJ
GT-Filosofia Oriental

Apoio

Funda莽茫o Jap茫o
CAPES
FAPESP
Secretaria de Eventos (IFCH/Unicamp)

Coordena莽茫o

Prof. Dr. Antonio Florentino Neto
Prof. Dr. Oswaldo Giacoia Jr.

Data: 15, 16 e 17 de setembro de 2015

Local: Audit贸rio II do IFCH (Unicamp)

Inscri莽玫es: no local

Contato: florentinoflora@gmail.com

PROGRAMA

Ter莽a-feira, 15/09/2015

09:00 鈥 Inscri莽玫es

10:00 鈥 Abertura: Prof. Dr. Marcos Lutz M眉ller (Unicamp)

10:30 鈥 Confer锚ncia 1: Subjetividade e vacuidade: A Filosofia de Nishida e a Escola Budista Huayan
Prof. Dr. Yujin Itabashi (Universidade Rissho, Jap茫o)

12:00 鈥 Intervalo

14:00 鈥 Confer锚ncia 2: A media莽茫o absoluta ou a necess谩ria transforma莽茫o do ser em ser up膩ya na filosofia como metano茅tica

Profa. Dra. Rebeca Maldonado (UNAM, M茅xico)

15:30 鈥 Intervalo

16:00 鈥 Confer锚ncia 3: Individua莽茫o e Sofrimento. Reden莽茫o e Vazio
Prof. Dr. Oswaldo Giacoia Jr. (Unicamp)17:30 鈥 Encerramento do primeiro dia

Quarta-feira,16/09/2015

08:30 鈥 Confer锚ncia 4: Os fundamentos da l贸gica predicativa e da l贸gica relacional em Arist贸teles, N膩g膩rjuna e Laozi
Prof. Dr. Antonio Florentino Neto (UEL; Brasil/China-Unicamp)

10:00 鈥 Intervalo

10:30鈥 Confer锚ncia 5: A No莽茫o de Superimposi莽茫o (sam膩ropa) em N膩g膩rjuna e Candrak墨rti
Prof. Dr. Dilip Loundo (UFJF)

12:00 鈥 Almo莽o

14:00 鈥 Confer锚ncia 6: Dogen e Nishida
Prof. Dr. Ralf M眉ller (Hildesheim, Alemanha)

15:30 鈥 Intervalo

16:00 鈥 Confer锚ncia 7: Pensando como um budista: apropria莽玫es do n茫o-dualismo budista pela Escola de Kyoto
Prof. Dr. Gereon Kopf (Luther College, USA)

17:30 鈥撯 Encerramento do segundo dia

Quinta-feira,16/09/2015

08:30 鈥 Confer锚ncia 8 鈥 An膩tman: a perspectiva de-substancializante do ego em N膩g膩rjuna, D艒gen e Nishitani
Prof. Dr. Jos茅 Carlos Michelazzo (SBF)

10:00 鈥 Intervalo

10:30鈥 Confer锚ncia 9: A filosofia de Nishitani e o Budismo- uma an谩lise cr铆tica.
Prof. Dr. Joaquim Antonio B. C. Monteiro (UFPB)

12:00 鈥 Almo莽o

14:00 鈥 Confer锚ncia 10: Considera莽玫es sobre poss铆veis influ锚ncias da Escola Madhyamika na Escola de Kyoto
Prof. Pl铆nio Tsai (ATG)

15:30 鈥 Intervalo

16:00 鈥 Confer锚ncia 11: Significado de filosofar no Jap茫o
Prof. Dr. Masaru Yoneyama (Universidade de Nagoya, Jap茫o)

16h30 鈥 Reuni茫o de funda莽茫o da Sociedade Nishida Brasileira

16h30 鈥 Reuni茫o de funda莽茫o da Sociedade Nishida Brasileira

17h30 鈥 Encerramento do Col贸quio

Entrevista: M. Liliana Herrera e a recep莽茫o colombiana de Cioran, entre outros temas

M. Liliana Herrera A. ensina聽Filosofia na Universidad Tecnol贸gica de Pereira (UTP), na cidade colombiana hom么nima聽situada聽na regi茫o do Eje cafetero (“Eixo cafeeiro”), no norte do pa铆s. Tem聽mestrado (1989) e doutorado (2001) em Filosofia pela Pontificia Universidad Javeriana de Bogot谩.聽脡聽a gestora e聽diretora do聽Encuentro Internacional Emil Cioran, realizado na聽UTP.聽脡 autora, entre outros, de Cioran: aproximaciones (1994);聽Cioran:聽lo voluptuoso, lo insoluble (2003); Cioran, lo voluptuoso lo insoluble(2003); Cioran, ensayos cr铆ticos (tradutora e聽organizadora junto a聽A. Abad T., 2008);聽Cioran en perspectivas (em聽coautoria con A. Abad T., 2009); Compilaci贸n: Encuentro Internacional Emil Cioran 2008-2011 (em聽coautoria聽com聽Alfredo Abad T., 2012); En torno a Cioran, nuevos ensayos y perspectivas (2014; segundo volume聽das聽confer锚ncias apresentadas nas聽edi莽玫es聽2012聽e聽2013 do聽Encuentro). Publicou tamb茅m聽diferentes ensaios sobre temas filos贸ficos e聽liter谩rios em聽revistas nacionais e internacionais.聽

EMCioran/Br: Estimada profesora Liliana Herrera, antes de tudo o Portal E.M. Cioran gostaria de agradecer, em nome de seus visitantes, leitores de Cioran, a generosidade em conceder-nos esta entrevista. 脡 uma honra e um privil茅gio ter acesso 脿 perspectiva pessoal e cr铆tica de uma especialista neste autor que 茅 um interesse comum de todos n贸s.
Primeiramente, n茫o se poderia deixar de mencionar o Encuentro Internacional Emil Cioran realizado anualmente em Pereira, na Col么mbia, sob coordena莽茫o sua, e que chegou este ano 脿 sua s茅tima edi莽茫o. Trata-se de um feliz, e exitoso, encontro e um dos poucos eventos acad锚micos regulares no mundo dedicado a discutir e divulgar a obra do pensador romeno. Qual 茅 a exata natureza do Encuentro Internacional Emil Cioran? Como foi poss铆vel realizar e manter um evento acad锚mico sobre um pensador t茫o marginal e tamb茅m t茫o antiacad锚mico como Cioran? Em sua opini茫o, o que mudou desde a primeira edi莽茫o? Que espera do futuro do Encuentro?

M.L.H.A.: O Encuentro Internacional se originou de um projeto que o Grupo de Investiga莽茫o em Filosofia Contempor芒nea por mim dirigido apresentou 脿 Universidad Tecnol贸gica de Pereira (UTP). Com o professor Alfredo Abad, desenvolvemos o tema, e um dos resultados foi este evento. A primeira edi莽茫o do Encuentro se realizou em outubro de 2007. O convidado internacional foi o professor Ger Groot, da Universidade de Rotterdam. As primeiras edi莽玫es do evento giraram em torno do pensamento de Cioran e das rela莽玫es entre filosofia e literatura, linha em que se localiza muito bem a obra de Cioran. Os objetivos, pois, eram tr锚s: dar a conhecer 脿 comunidade filos贸fica e liter谩ria de nosso pa铆s os trabalhos sobre o autor romeno-franc锚s que estavam sendo realizados pelos especialistas cioranianos, principalmente romenos, franceses e espanh贸is. Segundo, divulgar a cultura romena que em nosso meio 茅 quase desconhecida. Finalmente, levantar algumas quest玫es mais amplas pertinentes 脿 discuss茫o entre filosofia e literatura, tema que vem ganhando terreno acad锚mico dentro da comunidade filos贸fica e liter谩ria internacional nos 煤ltimos anos.
Por茅m, dadas certas caracter铆sticas de nossa universidade e de nossa regi茫o, o Encuentro come莽ou a se perfilar como um projeto de maior envergadura: de acad锚mico foi se convertendo em um projeto cultural da universidade para a cidade e a regi茫o, e que tem conseguido posicionar-se a n铆vel nacional e internacional por ser um dos poucos que t锚m Cioran como tema principal (脿 parte, claro, do Col贸quio Internacional Emil Cioran que se realiza anualmente em Sibiu, na Rom锚nia).
Mas o nosso evento teve desde o in铆cio caracter铆sticas espec铆ficas que o diferenciam daquele realizado em Sibiu e que 茅 voltado para os especialistas. N茫o 茅 uma r茅plica dele e nem poderia ser. Resumundo: devido ao crescente interesse que o publico regional tem demonstrado pelo nosso evento, ampliamos os tr锚s objetivos mencionados antes: com rela莽茫o ao primeiro, estamos promovendo o pensamento de Cioran e os estudos que s茫o desenvolvidos sobre ele em meio a um p煤blico n茫o apenas universit谩rio que se desenvolve no campo da filosofia e da literatura, mas tamb茅m em meio a um p煤blico muito mais amplo que inclui estudantes do ensino m茅dio, al茅m de outro p煤blico que exercita sua atividade intelectual privadamente, 脿 margem da universidade ou nos reduzidos c铆rculos intelectuais mais ou menos conhecidos de nossa cidade. Isso explica que o nosso col贸qui seja itinerante: nas sete edi莽玫es do evento, as confer锚ncias de nossos convidados internacionais foram realizadas n茫o apenas na UTP como tamb茅m em outras universidades da regi茫o, em Salas Culturais, em um col茅gio p煤blico de ensino m茅dio e em pequenas cidades pr贸ximas a Pereira. O p煤blico 茅 muito heterog锚neo. O objetivo de dar a conhecer a cultura romena (mitos, hist贸ria, escritores, m煤sica) tem se mantido. Por fim, ampliamos as tem谩ticas concernentes 脿s rela莽玫es entre filosofia, literatura, arte e sociedade, para incluir problem谩ticas da atualidade. Desta maneira, nosso p煤blico, filos贸fico, estudantil ou simplesmente leitor, pode escutar ou ler, nas Mem贸rias [volumes de textos apresentados nos encontros] que temos publicado, temas relativos a esses 芒mbitos.

EMCioran/Br: Que pode nos dizer sobre a recep莽茫o de Cioran e o alcance de sua obra na Col么mbia? Quando come莽ou a ser lido, e por quem? Como se poderia contextualizar a presen莽a de Cioran na Col么mbia? Pode-se dizer que existe a铆 uma tradi莽茫o de leitura e investiga莽茫o cr铆tica sobre o pensador romeno? No Brasil, ele 茅 muitas vezes desprezado, quando n茫o recha莽ado, pelos intelectuais nos meios acad锚micos e mesmo fora dele, que n茫o conseguem ou n茫o querer admitir a seriedade e a consist锚ncia filos贸fica de sua obra. Ademais, 茅 muito pouco lido pelo grande p煤blico (est谩 longe de ser um best-seller!), na maioria das vezes de maneira superficial e abusivamente vinculado a Nietzsche, como se Cioran pudesse ser reduzido a um mero ep铆gono de Nietzsche (tese que sustenta Susan Sontag, por exemplo). Tamb茅m costuma ser utilizado por certa milit芒ncia ideol贸gica em defesa de um ate铆smo de boa consci锚ncia como argumento de autoridade para dar peso 脿 respectiva causa, o que parece ignorar a profunda dimens茫o m铆stica e metaf铆sica implicada no seu pensamento. O que pensa desse tipo de leitura? O mesmo 茅 o caso na Col么mbia?

M.L.H.A.: Sim, a hist贸ria da recep莽茫o da obra de Cioran na Col么mbia foi mais ou menos a mesma que no Brasil. Cioran come莽ou a ser conhecido ao final dos anos 70. Eram poucos os livros em espanhol que chegavam aqui naquela 茅poca. Foi lido inicialmente por um pequeno c铆rculo de intelectuais cr铆ticos da academia, ainda que alguns vinculados a ela. As leituras feitdas sobre este pensador estavam influenciadas pela leitura dos poetas malditos, ou certa literatura pessimista. Pouco mais tarde, os coment谩rios que se encontravam sobre Cioran o vinculavam abertamente a Nietzsche e a uma posi莽茫o ate铆sta que nega ou ignora, como voc锚 bem diz, a dimens茫o m铆stica, religiosa mas combativa (para al茅m e acima de qualquer institui莽茫o) do pensamento cioraniano. Esta imagem foi promovida inclusive por professores universit谩rios de tend锚ncia nietzscheana ao final dos anos 1980.
Mas, no que concerne 脿 academia em geral, Cioran era um autor quase desconhecido; e aqueles que tinham informa莽玫es superficiais sobre ele o recha莽avam. De alguma maneira, esse recha莽o subsiste, mas com menor intensidade. A partir dos anos 2000, Cioran passou a ser mais conhecido dentro do ambiente intelectual universit谩rio e extra-acad锚mico. Desde 2007, temos aportando 脿s universidades e bibliotecas do pa铆s uma bibliografia cioraniana 脿 qual n茫o se tinha acesso, e que consiste na publica莽茫o das tradu莽玫es de alguns trabalhos realizados por especialistas estrangeiros e outros consignados nas Mem贸rias do Encuentro. N贸s introduzimos no programa de Filosofia da UTP, em diversas ocasi玫es, um semin谩rio sobre o pensador romeno-franc锚s. Nossos grupos de investiga莽茫o, por sua vez, publicam seus trabalhos referentes a algumas problem谩ticas que a obra de Cioran apresenta. N茫o obstante, Cioran segue sendo marginal; n茫o 茅 para a grande massa, e isso, de alguma maneira, 茅 um al铆vio.

EMCioran/Br: Cioran gostava de se definir como um 鈥減ensador privado鈥. Sua obra n茫o 茅 para as massas, para uso p煤blico das coletividades, mas uma obra intimista e profundamente pessoal, dirigida 脿s consci锚ncias individuais na solid茫o de sua interioridade. No document谩rio Apocalipsa dupa Cioran (鈥淥 Apocalipse segundo Cioran鈥) se referem a ele como ein Geheimtipp f眉r Kenner, ou seja, 鈥渦ma dica secreta para conhecedores鈥. Dito isso, uma quest茫o de muito interesse seria, particularmente, sua rela莽茫o intelectual com o Cioran. Quando e como conheceu sua obra? Que lhe atraiu nele, em seu pensamento? Seus estudos acad锚micos t锚m se centrado na obra cioraniana, e ademais seu doutorado tamb茅m foi dedicado 脿 investiga莽茫o do pensamento de Cioran. Que significa Cioran para voc锚?

M.L.H.A.: O fato de que seja um pensador privado do qual n茫o se poderia fazer um uso coletivo, e que n茫o poderia ser vinculado ou utilizado por nenhum tipo de ideologia, j谩 que a pr贸pria natureza de sua obra impede isso, 茅 o que a protege da trivializa莽茫o das modas liter谩rias, ou de seitas de adeptos. Obviamente, h谩 leitores que utilizam dois ou tr锚s aforismos ou alguns t铆tulos para apoiar posturas intelectuais ou eticamente irrespons谩veis. Mas s茫o casos irrelevantes. Voc锚 afirma acertadamente: Cioran consegue ter um lugar privilegiado nas consci锚ncias individuais, na intimidade e sensibilidade de uma exist锚ncia. Li Cioran pela primeira vez quando cursava meus estudos de gradua莽茫o em Filosofia. Voc锚 conhece bem essa experi锚ncia: o impacto, a surpresa, a aprova莽茫o imediata de suas afirma莽玫es, e talvez o consolo essencial que sua obra representa para a alma. Cioran diz (o que corroborou numa entrevista) as coisas que todo homem mais ou menos l煤cido ou realista (em um sentido existencial) sente, mas que n茫o se atreve a expressar porque n茫o tem as palavras, o talento ou a valentia para faz锚-lo. E isso explica 鈥 sem precisar ir mais longe em busca de argumentos ou de explica莽玫es 鈥 a import芒ncia que adquire na vida pessoal uma obra como a de Cioran. Fiz meu trabalho de gradua莽茫o principalmente sobre dois temas: o suic铆dio e a cr铆tica 脿 filosofia. Meu trabalho de mestrado tomou outro rumo, mas ent茫o no doutorado retomei sua obra. Devo esclarecer que na Col么mbia, naquela 茅poca, n茫o se tinha acesso aos estudos que vinham sendo realizados sobre ele na Europa Central ou no Leste Europeu. Por isso meus trabalhos foram em grande medida intuitivos. N茫o me considero especialista em Cioran e, mesmo que me considerasse, na verdade n茫o sou. Sou antes uma divulgadora de sua obra. Creio que ele tem raz茫o em sua cr铆tica da hist贸ria e condi莽茫o humanas. Seu humor negro, her茅tico, 茅 um b谩lsamo. Jaspers disse que alguns seres s茫o 鈥渆xce莽玫es鈥; n贸s n茫o o somos e nem poder铆amos tentar imitar a 鈥渆xce莽茫o鈥. Mas 茅 poss铆vel, sim, estabelecer uma esp茅cie de (para utilizar outro termo de Jaspers) 鈥渃omunica莽茫o amorosa鈥 com aqueles que o s茫o, e junto a ele buscar o pr贸prio caminho em dire莽茫o a si mesmo.

EMCioran/Br: Como se sabe por meio de uma entrevista a um jornal colombiano, voc锚 茅 uma das pessoas que tiveram a oportunidade de corresponder-se com Cioran. Como come莽ou esse interc芒mbio epistolar? Que paralelos se poderia estabelecer entre o autor dos livros e o interlocutor epistolar? O Cioran das cartas 茅 distinto do Cioran escritor?

M.L.H.A.: Pelo que entendo ele manteve correspond锚ncia com uma boa quantidade de pessoas. Com efeito, para mim foi um privil茅gio. Quando iniciei meu trabalho de gradua莽茫o tive a ideia de escrever uma carta 脿 editora Gallimard. E com grande surpresa recebi uma resposta. O intercambio epistolar foi espor谩dico, mas transcorreu por um per铆odo de dez anos. Sabe-se que Cioran 茅 um dos autores que uniram vida e obra. Ele conserva nas cartas o mesmo 鈥渢om鈥 que mostra nos livros. 脡 claro, s茫o cartas breves, pessoais, em que n茫o se desenvolve nenhum tema. Mas 茅 poss铆vel ter a certeza de que se est谩 diante do mesmo temperamento, do mesmo sentimento da exist锚ncia, do mesmo talento que exibe em seus livros. Por茅m, nas cartas evidencia-se claramente um ser de grande amabilidade e calidez.

EMCioran/Br: A continuidade e a descontinuidade entre a obra romena e a obra francesa de Cioran costumam ser muito discutidas. Que rela莽茫o voc锚 v锚 entre os escritos de juventude, em romeno, e os escritos de maturidade, em franc锚s? 脡 justo falar de uma ruptura entre os dois per铆odos, ou seria razo谩vel relativizar essa ruptura?

M.L.H.A.: A relativiza莽茫o 茅 a op莽茫o correta. H谩 continuidades e descontinuidades, de natureza tem谩tica e estil铆stica. N茫o obstante, h谩 um 鈥渇undo id锚ntico鈥. Refiro-me ao esp铆rito que anima os dois momentos da obra: o ceticismo apesar de certas veleidades juvenis, a luta com Deus que s贸 o cansa莽o dos anos p么de atenuar, um estilo escritural intenso e apaixonado, depurado pela disciplina imposta por outra l铆ngua… enfim. Um dos estudos que aprofunda este tema 茅 o do romeno Ciprian V菐lcan[1] e que, para mim, 茅 leitura obrigat贸ria para os estudiosos de Cioran.

EMCioran/Br: 脡 razo谩vel dizer que o s茅culo XX n茫o conheceu figura intelectual mais enigm谩tica, mais indefin铆vel, mais inclassific谩vel do que Cioran. Ademais, 茅 um pensador relativamente recente cuja jovem tradi莽茫o cr铆tica ainda est谩 muito pouco estabelecida, consolidada. A cada ano se descobrem novas informa莽玫es ou se revela alguma obra que ficou engavetada durante d茅cadas sem conhecer a luz da publica莽茫o (como Razne, que Cioran escreveu ainda em romeno quando j谩 habitava em Paris, e que foi publicado recentemente na Rom锚nia). A quantidade de interpreta莽玫es distintas de Cioran 茅 proporcional 脿 quantidade de seus int茅rpretes. Como Nietzsche no s茅culo XIX, Cioran parece ser um autor extempor芒neo em seu pr贸prio s茅culo. Que pensa voc锚 sobre o destino da recep莽茫o de Cioran, na Col么mbia e no mundo?

M.L.H.A.: Cioran foi um vision谩rio, uma esp茅cie de H. G. Wells (sei bem que a compara莽茫o pode parecer absurda…). Os cioranianos seguir茫o escrevendo; por ser aut锚ntica, sincera, a obra de Cioran poder谩 perdurar; e o mundo seguir谩 seu destino implac谩vel.

EMCioran/Br: Para concluir: h谩 um libro de Cioran que lhe seja especialmente significativo, ou mais de um? O mesmo sobre os aforismos cioranianos?

M.L.H.A.: Um dos livros que permite aproximar-se de maneira contextualizada ao seu pensamento 茅 o volume das Entretiens, uma boa inicia莽茫o para todo aquele que queira come莽ar a estud谩-lo com seriedade. Como um dos temas que mais t锚m me inquietado 茅 o de sua atormentada religiosidade, me interessam muito os livros da 茅poca romena. Ademais, o alento po茅tico que oferecem os livros mais apaixonados, mais dram谩ticos (por exemplo, os textos que se poderia chamar de 鈥渙ra莽玫es blasfemas鈥). Mas 茅 dif铆cil falar de um ou dois livros ou aforismos preferidos. Neste caso, n茫o se pode escolher, a n茫o ser pelas problem谩ticas que sejam de interesse do estudioso.

EMCioran/Br: Prof陋 M. Liliana, agrade莽o uma vez mais, em nome dos leitores de Cioran (e seus tamb茅m), pela generosidade em conceder-nos esta entrevista.

漏 Portal EMCioran/Br; M. Liliana Herrera A.
S茫o Paulo 鈥 Pereira, 24/11/2014

[1] Ciprian V膫LCAN. La concurrence des influences fran莽aises et allemandes dans l鈥檕euvre de Cioran. Bucareste聽: Institut Cultural Roman, 2008.