“Sobre a quadr√ļplice raiz do princ√≠pio de raz√£o suficiente – Uma disserta√ß√£o filos√≥fica” (Arthur Schopenhauer)

“Sobre a quadr√ļplice raiz do princ√≠pio de raz√£o suficiente – Uma disserta√ß√£o filos√≥fica” (Arthur Schopenhauer)

A Editora Unicamp acaba de lan√ßar a primeira tradu√ß√£o brasileira da tese de doutorado de Schopenhauer: Sobre a qu√°drupla raiz … Continuar lendo “Sobre a quadr√ļplice raiz do princ√≠pio de raz√£o suficiente – Uma disserta√ß√£o filos√≥fica” (Arthur Schopenhauer)

O Irremedi√°vel, a Filosofia como “ing√™nua cren√ßa na hierarquia das perplexidades” e a M√ļsica como modelo do definitivo (Cioran)

O Irremedi√°vel, a Filosofia como “ing√™nua cren√ßa na hierarquia das perplexidades” e a M√ļsica como modelo do definitivo (Cioran)

O Irremedi√°vel Para me “documentar” sobre a morte, n√£o ganho mais em consultar um tratado de biologia do que o … Continuar lendo O Irremedi√°vel, a Filosofia como “ing√™nua cren√ßa na hierarquia das perplexidades” e a M√ļsica como modelo do definitivo (Cioran)

“Descartes, Bayle y el escepticismo acad√©mico. A prop√≥sito de una objeci√≥n de Cicer√≥n” (Fernando Bahr)

“Descartes, Bayle y el escepticismo acad√©mico. A prop√≥sito de una objeci√≥n de Cicer√≥n” (Fernando Bahr)

Ingenium. Revista Electr√≥nica de Pensamiento Moderno y Metodolog√≠a en Historia de las Ideas, Universidad Complutense de Madrid, Espa√Īa, 2016 Resumen … Continuar lendo “Descartes, Bayle y el escepticismo acad√©mico. A prop√≥sito de una objeci√≥n de Cicer√≥n” (Fernando Bahr)

“Acerca do budismo, Cioran e  filosofia ocidental” (Paulo Borges)

“Acerca do budismo, Cioran e filosofia ocidental” (Paulo Borges)

CV – Em que medida um melhor conhecimento da filosofia oriental contribui para a transforma√ß√£o da reflex√£o filos√≥fica da tradi√ß√£o … Continuar lendo “Acerca do budismo, Cioran e filosofia ocidental” (Paulo Borges)

“Como a pol√≠tica √© uma quest√£o de logos” (Barbara Cassin)

“Como a pol√≠tica √© uma quest√£o de logos” (Barbara Cassin)

O paradoxo come√ßa a se explicar quando aceitamos regredir, para aqu√©m de nossas ant√≠teses modernas (democracia/conservadorismo, revolu√ß√£o/rea√ß√£o), √† pr√≥pria constitui√ß√£o … Continuar lendo “Como a pol√≠tica √© uma quest√£o de logos” (Barbara Cassin)

“Do conhecimento religioso: sobre um texto de juventude e sua repercuss√£o na obra de Cioran” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

“Do conhecimento religioso: sobre um texto de juventude e sua repercuss√£o na obra de Cioran” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

Al√©m de um sentimento fundamental da exist√™ncia, a categoria do religioso designa tamb√©m um tipo especial de conhecimento, aquele que … Continuar lendo “Do conhecimento religioso: sobre um texto de juventude e sua repercuss√£o na obra de Cioran” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

“Um pessimismo (mui) pouco tr√°gico: Cioran lido por Cl√©ment Rosset” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

“Um pessimismo (mui) pouco tr√°gico: Cioran lido por Cl√©ment Rosset” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

Trata-se de contrapor e fazer dialogar duas filosofias, dois modo de pensar (o homem, a exist√™ncia, a vida e a … Continuar lendo “Um pessimismo (mui) pouco tr√°gico: Cioran lido por Cl√©ment Rosset” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

“O fil√≥sofo confrontado com a (i)mortalidade da alma: uma an√°lise do ‘F√©don’ de Plat√£o √† luz de Hans-Georg Gadamer” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

“O fil√≥sofo confrontado com a (i)mortalidade da alma: uma an√°lise do ‘F√©don’ de Plat√£o √† luz de Hans-Georg Gadamer” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

Enquanto preparavam a cicuta, aprendia S√≥crates uma can√ß√£o na flauta. ‚ÄúPara que te servir√°s? lhe perguntaram.‚ÄĚ ‚ÄúPara sab√™-la antes de … Continuar lendo “O fil√≥sofo confrontado com a (i)mortalidade da alma: uma an√°lise do ‘F√©don’ de Plat√£o √† luz de Hans-Georg Gadamer” (Rodrigo In√°cio R. S√° Menezes)

“As duas modalidades do Brahman e o mist√©rio do √Ętman ‘cativo’ na mat√©ria” (Mircea Eliade)

“As duas modalidades do Brahman e o mist√©rio do √Ętman ‘cativo’ na mat√©ria” (Mircea Eliade)

A identidade √Ętman-Brahman, percebida experimentalmente na “luz interior”, ajuda o rishi a decifrar o mist√©rio da Cria√ß√£o e, ao mesmo … Continuar lendo “As duas modalidades do Brahman e o mist√©rio do √Ętman ‘cativo’ na mat√©ria” (Mircea Eliade)