“Unde Malum? Dualist(oid) and Gnostic Imaginary, from Folk Mythology to Modern Romanian Literature” (Nicoleta Popa Blanariu)

“Unde Malum? Dualist(oid) and Gnostic Imaginary, from Folk Mythology to Modern Romanian Literature” (Nicoleta Popa Blanariu)

Transylvanian Review (Academia Română, Centrul de Studii Transilvane, Cluj-Napoca), XXV, 2 (summer 2016) Abstract: Our contribution attempts to respond to … Continuar lendo “Unde Malum? Dualist(oid) and Gnostic Imaginary, from Folk Mythology to Modern Romanian Literature” (Nicoleta Popa Blanariu)

“Nietzsche & Tolstói em paralelo: comentários sobre o livro do filósofo existencialista russo Léon Chestov [1866-1938]” (Eduardo Carli de Moraes)

“Nietzsche & Tolstói em paralelo: comentários sobre o livro do filósofo existencialista russo Léon Chestov [1866-1938]” (Eduardo Carli de Moraes)

Publicado originalmente em A CASA DE VIDRO :
TOLSTÓI E NIETZSCHE: RETRATOS PARALELOS NA PENA DE LÉON CHESTOV Comentário sobre a obra “L’Idée Du… Continuar lendo “Nietzsche & Tolstói em paralelo: comentários sobre o livro do filósofo existencialista russo Léon Chestov [1866-1938]” (Eduardo Carli de Moraes)

“Sobre humanos, marionetes e liberdade: Cioran em diálogo com John Gray” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Sobre humanos, marionetes e liberdade: Cioran em diálogo com John Gray” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

A marionete – objeto artificial, aqui humanizado, dotado de “alma” – como metáfora do homem. O homem – animal autoconsciente, … Continuar lendo “Sobre humanos, marionetes e liberdade: Cioran em diálogo com John Gray” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Revolta, niilismo e religiosidade: a ontologia da liberdade em Dostoiévski” (Eduardo Armaroli Noguchi)

“Revolta, niilismo e religiosidade: a ontologia da liberdade em Dostoiévski” (Eduardo Armaroli Noguchi)

XI Congresso Internacional da ABRALIC. Tessituras, Interações, Convergências.  USP – São Paulo, Brasil. 13 a 17 de julho de 2008. RESUMO: … Continuar lendo “Revolta, niilismo e religiosidade: a ontologia da liberdade em Dostoiévski” (Eduardo Armaroli Noguchi)