“A Romênia entre a História e a Europa” (Tony Judt)

A edição de fevereiro de 2000 da revista masculina Plai cu Boi de Bucareste apresenta uma certa princesa Brianna Caradja. Variando de adereços de couro a quase nada, ela aparece nas páginas centrais numa série de poses meio desfocadas, flagelando servos (masculinos) subservientes e semidespidos. Os rapazes submissos, envoltos em fumaça, cortam lenha, puxam trenós…

Leia mais

Cioran, o místico de uma era pós-Deus: entrevista com Mirko Integlia (2ª parte)

“Il testo cioraniano è ‘rischioso‘. A escritura cioraniana possui uma profundidade que poderíamos definir, para usar uma terminologia atual, “hipertextual”, isto é, a assim-chamada mensagem não se esgota na imediatidade do escrito, mas abre continuamente vertentes de reflexão ulterior, as quais, de resto, atravessam a obra inteira como um fluxo de consciência que busca superar…

Leia mais

In dialogo con Mirko Integlia su «Tormented by God: The Mystical Nihilism of Emil Cioran»

ORIZZONTI CULTURALI ITALO-ROMENI, n. 12, dicembre 2019, anno IX È stato pubblicato da poco un nuovo libro su Cioran, uno importantissimo, a giudicare dal tema e dall’approccio: Tormented by God: The Mystical Nihilism of Emil Cioran (Libreria Editrice Vaticana, 2019), scritto dal filosofo e teologo Mirko Integlia. Un’approfondita analisi storico-ermeneutica di questo che l’esegeta concepisce come…

Leia mais

Cioran, o místico de uma era pós-Deus: entrevista com Mirko Integlia (1ª parte)

In memoriam: María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) “Às vezes tenho a impressão de que a obra de Cioran é interpretada como uma espécie de bazar, onde cada um se serve daquilo que quer, inclusive dos aspectos místicos-religiosos.” (Mirko Integlia) * [Pdf] Acaba de ser publicado, em inglês, um novo livro de exegese crítica sobre Cioran,…

Leia mais

“Cioran, ingênuo e sentimental”: um perfil literário e psicológico, por Ion Vartic (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Eu havia escrito esta resenha em 2011, e não sei porque não a publiquei à época. Acabo de descobri-la, perdida, num HD de backup. RESENHA: VARTIC, Ion. Cioran, ingenuo y sentimental. Trad. do romeno de Francisco Javier Marina (título original: “Cioran, naiv şi sentimental”). Zaragoza: Mira Editores, 2009. O ensaio de crítica literária e psicológica…

Leia mais

“Dio: un interlocutore indispensabile. Il concetto di Dio nel pensiero di Emil Cioran” (Ionuţ Marius Chelariu)

PONTIFICIUM ATHENAEUM S. ANSELMI DE URBE. FACULTAS PHILOSOPHIAE. Thesis ad Lauream n. 55. Excerptum ex Dissertatione ad Doctoratum Philosophiae assequendum in Pontificio Atheneo S. Anselmi, Romae, 2017. PREFAZIONE  Si capirà mai il dramma di un uomo che innessun momento della vita è riuscito a dimenticare il paradiso? (E.M.Cioran, Quaderni) Il 6 giugno 2017, presso la sede del Pontificio Ateneo Sant’Anselmo in Roma, alla presenza della…

Leia mais

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 3] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Na primeira parte do livro, “Uma juventude entre desespero e fervor político”, Fiore perfaz o itinerário de formação do jovem Cioran na Romênia da década de 30, explorando a dualidade de uma juventude dividida entre o desespero existencial e o fervor político. Não se faz política nos cumes do desespero. Schimbarea la faţă a României – libelo político…

Leia mais

“Cioran, un penseur organique” (Andrei Minzetanu)

Revue Littérature, 2015/3 (n° 179), pages 38 à 50 « 12 mars 1959. Il est incroyable à quel point tout, mais absolument tout, et d’abord les idées, émane chez moi de ma physiologie. Mon corps est ma pensée, ou plutôt ma pensée est mon corps ». Cioran (CC, 32) L’épigraphe de mon article illustre bien, par sa…

Leia mais

“Há poetas gnósticos?” (Claudio Willer)

Revista Terceira Margem – Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura da UFRJ, vol. 19, no. 31, 2015 Resumo: O presente ensaio retoma o que já escrevi sobre gnosticismo e poesia, e sobre poetas gnósticos. Examina o trânsito entre doutrinas aparentemente opostas, a gnose pessimista e aquela otimista do Corpus Hermeticum. Reconhece que há mais poetas gnósticos;…

Leia mais

“Religião como crítica: a hipótese de Deus” (Luiz Felipe Pondé)

Revista CULT, n° 64, 2002 (edição especial “Cristianismo e Modernidade”) A cotidianeidade social cria uma ética do medo, ao converter a angústia, provocada pelo abismo transcendente, em uma ansiedade banal e (…). Mas ela cria também um fenômeno novo, no qual o medo está ausente e que lhe é mesmo claramente inferior: a  banalidade. Seu…

Leia mais

“Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

O Globo, 20 de janeiro de 1996 A filosofia de Cioran não constitui uma arquitetura abstrata de conceitos ideais. Meditação fundamentalmente impura, deriva de um estado de espírito, de uma obsessão mais do que se uma ideia a priori. Filósofo que parte dos afetos, das “misérias do eu”, Cioran conheceu, em sua reflexão errática, momentos…

Leia mais

Sobre diálogos interculturais, Eminescu e Castro Alves, traduções e outros temas: entrevista com Luciano Maia, cônsul honorário da Romênia em Fortaleza

Luciano Maia nasceu na cidade cearense de Limoeiro do Norte, em 1949. Formado em Direito pela Universidade Federal do Ceará e mestre em Literatura Brasileira pela mesma instituição. É autor de mais de vinte livros (poesia, ensaios, contos, traduções): Jaguaribe – memória das águas (1982; traduzido ao romeno, ao espanhol e ao inglês, encontra-se na…

Leia mais

“Um -ismo ocioso: a crítica de Michael Allen Williams ao conceito de gnosticismo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Em Rethinking Gnosticism: An Argument for Dismantling a Dubious Category [Repensando o Gnosticismo: Um Argumento para Desmantelar uma Categoria Duvidosa] (1999), Michael Allen Williams argumenta que o termo “gnosticismo” se tornou, no discurso moderno, “um rótulo tão proteiforme que perdeu qualquer sentido confiável e identificável pelo grande público leitor”.[i] Mais ou menos como “niilismo”: de…

Leia mais

“Patandjáli e o Yoga” (Mircea Eliade)

Até meados do século passado, o doutor J. M. Honigberger assombrou o mundo científico relatando a história do yogin Hari-dâs. Em Láhaor [Lahore], na presença do marajá Ránjit Sing do Punjab e da sua corte, Hari-dâs se pôe em estado cataléptico e foi enterrado num jardim. Durante quarenta dias, uma guarda rigorosa vigiou a sua…

Leia mais

“As duas modalidades do Brahman e o mistério do âtman ‘cativo’ na matéria” (Mircea Eliade)

A identidade âtman-Brahman, percebida experimentalmente na “luz interior”, ajuda o rishi a decifrar o mistério da Criação e, ao mesmo tempo, o do seu próprio modo de ser. Como sabe que o homem é cativo do karman e, no entanto, possuidor de um “Eu” imortal, ele descobre em Brahman uma situação comparável. Em outras palavras,…

Leia mais

“Um pensamento religioso heterodoxo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Eu não gostaria de viver em um mundo esvaziado de todo sentimento religioso. Eu não penso na fé, mas nessa vibração interior que, independente de qualquer crença, vos projeta em Deus, e às vezes acima. (Écartèlement) Clément Rosset e Fernando Savater estão de acordo sobre Cioran em ao menos um ponto. Segundo Rosset, o amigo…

Leia mais

“Un Cioran méconnu” (Mara Magda Maftei)

Romanica Olomucensia 29/1 (2017): 87-105, doi: 10.5507/ro.2017.007 Abstract: It is said that youth marks us for ever, that the past is never forgotten. What about when it comes to a controversial writer with a double culture, French-Romanian, and born in a turbulent historical context? This paper emphasizes some original matters concerning the writer Emil Cioran.…

Leia mais

Documentary: Mircea Eliade – his name, his destiny (2002)

Distributed by Chip Taylor Communications, 2 East View Drive, Derry, NH 03038; 800-876-CHIP Produced by Angela and Dan Jelesco Directed by Director n/a VHS, color, 88 min (dubbed in English) This production is an overview of the life and work of the late scholar, Mircea Eliade (1907 –1986). Perhaps best known to librarians for his work…

Leia mais

“Eliade vu par Cioran. Entre « l’homme sans destin » et l’homme au destin créateur” (Rodica Maria Fofiu)

Cahiers Emil Cioran – Approches Critiques IX, 2008 Nous nous proposons de mettre en évidence la façon speciale, incitante et parfois contradictoire dont Cioran voit Eliade à travers le temps, tout en évoquant l’attitude negative exprimée par l’article de jeunesse « l’Homme sans destin » et les appréciations mûres publiées dans des textes plus récents,…

Leia mais

“El nada centenario Cioran” (Abel Posse)

LA GACETA, Argentina, 24 de abril 2011 Crítico de la cultura de decadencia, moralista desilusionado, anarquista por despecho. A un siglo de su nacimiento, los temas del filósofo rumano mantienen su vigencia. El autor de Breviario de podredumbre criticaba a las “grandes sociedades” y creía que la idea del suicidio ayudaba a tolerar y potenciar…

Leia mais

“O último dândi”: entrevista de Cioran com Fernando Savater

Paris, outubro de 1990 — Completará, em breve, oitenta anos, e segue tão vivaz e alerta como sempre. Ninguém menos mórbido do que ele, ninguém menos lúgubre ou fastidiosamente solene. O melhor elogio a ele que me vem à cabeça é que não posso imaginá-lo “professor”: nasceu sem cátedra assim como outros a levam na…

Leia mais

“Assassinato em Chicago” (Umberto Eco)

Folha de S. Paulo, 04 de janeiro de 1998 No dia 21 de maio de 1992, Ioan Culianu, um jovem e brilhante professor de história da religião da Faculdade de Estudos Religiosos da Universidade de Chicago entrou na ante-sala de seu departamento. De cima do vaso sanitário, uma pessoa munida de uma Beretta .25 mirou…

Leia mais

“Unde Malum? Dualist(oid) and Gnostic Imaginary, from Folk Mythology to Modern Romanian Literature” (Nicoleta Popa Blanariu)

Transylvanian Review (Academia Română, Centrul de Studii Transilvane, Cluj-Napoca), XXV, 2 (summer 2016) Abstract: Our contribution attempts to respond to a gap in the investigation of the reminiscences of dualistic imaginary in modern literature and also in the Romanian reflection on the phenomenon. By approaching more thoroughly a theme that we have already discussed, from…

Leia mais

“Cioran and Gnosticism” (Ciprian Sonea)

STUDIA UNIVERSITATIS BABEŞ-BOLYAI THEOLOGIA ORTODOXA, vol. 63, no. 1, June 2018 Abstract: This study presents Cioran’s relation with Gnosticism that is marked by the fragmentary and contradictory style of Romanian thinker. This is caused by the specific ambivalence signaled by the Romanian essayist, ambivalence that is affirmed by the vitalist standpoint, and negated by the…

Leia mais

Entretien avec Cioran realisé par Michael Jakob (1989)

A près de 80 ans, Emil Cioran se disait toujours habité par les insomnies qui l’avaient cueilli très jeune, à l’âge où il était encore lycéen, en Roumanie. Un asile fécond puisqu’on doit une partie de son oeuvre à ces nuits sans sommeil et cependant “une malédiction”, confiait l’auteur roumain en 1989. Lucide ou suicidaire,…

Leia mais

“Poésie et connaissance nocturne chez Lucian Blaga et Yves Bonnefoy” (Gisèle Vanhese)

STUDIA UNIVERSITATIS BABEŞ-BOLYAI, PHILOLOGIA, LIV, 2, 2009 [PDF] ABSTRACT. The essay Poésie et connaissance nocturne chez Lucian Blaga et Yves Bonnefoy presents the profound convergencies between two authors who were able to reconcile poetry with ontology. For Lucian Blaga and Yves Bonnefoy as well, poetry takes first the appearance of a desiring meditation regarding the…

Leia mais

“Ni pour Dieu, ni contre Dieu : un mystique qui ne croit à rien” (Massimo Carloni)

Cahiers Emil Cioran Approches Critiques, XI, 2010, pag. 155-178. Si Stavrogin croit, il ne croit pas qu’il croie. S’il ne croit pas, il ne croit pas qu’il ne croie pas. DOSTOIEVSKI Le ciel gris sans nuage côtoie l’air gris sans fin de ceux qui ne sont ni pour Dieu ni pour ses ennemis. BECKETT «…

Leia mais

“Cioran, le flâneur aux idées noires” (Didier Sénécal)

L’EXPRESS,  01/05/1995 Notre plus illustre moraliste s’est choisi sa vie. En adoptant la langue française comme une patrie, en décidant de ne jamais travailler, en veillant quand le monde dort… Cioran est peut-être notre dernier écrivain légendaire. Grâce à son refus des projecteurs et à son indifférence aux honneurs, il a conservé une part de…

Leia mais

“Literature and literary criticism according to an ‘incomplete disbeliever’, Emil Cioran” (Magda Wächter)

STUDIA UBB PHILOLOGIA, LXII, 1, 2017, p. 265 – 272. ABSTRACT. Literature and Literary Criticism according to an “Incomplete Disbeliever”, Emil Cioran. The present study analyses the views of Cioran, as an “incomplete believer” upon literature and literary criticism, as he defines himself. Despite his pretended reticence about these cultural fields, the philosopher, often considered…

Leia mais

“The Buddhists, the Gnostics and the Antinomistic Societies, or the Arabian Sea in the first-second century AD” (Giovanni Verardi)

Annali dell’Istituto Orientale di Napoli 57, 1997, 323–46. THIRTY YEARS AGO, at the Colloquium on the origins of Gnosticism held in Messina, Edward Conze palced in evidence the numerous phenomenological aspectos common to Gnosticism and Buddhism, and more precisely, accepting the methodological and chronological limits established by Ugo Bianchi, to Buddhism and Gnosis. He cautiously…

Leia mais

“Emile Cioran. El exceso, la herejía y el error” (Ana Rodríguez de la Robla)

EL DIARIO MONTAÑÉS, España, 8 de abril 2011 Francia siempre ha sido tierra hospitalaria para rumanos atormentados. A cambio de su desdicha, de su rabia, de sus ideas -a veces consumaciones- suicidas, les otorga una lengua o un hogar que siempre es como una traducción, como un subtítulo que difundiera sarcasmos que de otro modo…

Leia mais