“A Romênia entre a História e a Europa” (Tony Judt)

A edição de fevereiro de 2000 da revista masculina Plai cu Boi de Bucareste apresenta uma certa princesa Brianna Caradja. Variando de adereços de couro a quase nada, ela aparece nas páginas centrais numa série de poses meio desfocadas, flagelando servos (masculinos) subservientes e semidespidos. Os rapazes submissos, envoltos em fumaça, cortam lenha, puxam trenós…

Leia mais

“Cioran o el grito de la conciencia ulcerada” (Esther Seligson)

Revista de la Universidad de Mexico, no. 413, junio de 1985 A]uan Espinasa, quien nos regaló el primer libro de Cioran que leímos Fieles a la pregunta que E. M. Cioran se hace en su ensayo Más allá de la novela, “¿ qué interés puede presentar una vida?”, podríamos suprimir sus datos biográficos, que se…

Leia mais

“Cioran, ingênuo e sentimental”: um perfil literário e psicológico, por Ion Vartic (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Eu havia escrito esta resenha em 2011, e não sei porque não a publiquei à época. Acabo de descobri-la, perdida, num HD de backup. RESENHA: VARTIC, Ion. Cioran, ingenuo y sentimental. Trad. do romeno de Francisco Javier Marina (título original: “Cioran, naiv şi sentimental”). Zaragoza: Mira Editores, 2009. O ensaio de crítica literária e psicológica…

Leia mais

“Salvar” Cioran (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Em meio à incipiente tradição exegética da obra de Cioran, chamam-me a atenção duas tendências hermenêuticas, opostas entre si, mas com algo em comum. Uma delas é a tentativa de cooptar Cioran a um nietzschianismo puramente trágico, cético, materialista e ateu. A outra é a tentativa (talvez mais ridícula que a anterior) de “salvar” ou…

Leia mais

“No tempo dos grandes mamíferos fósseis” (Welington Andrade)

Revista Cult, 7 de maio de 2016 “Quando sinto que vou vomitar um coelhinho, enfio dois dedos na boca como um alicate aberto e espero até sentir na garganta a penugem morna que sobe como uma efervescência de sal de frutas. Tudo é veloz e higiênico, transcorre num instante brevíssimo”. Julio Cortázar, Carta a uma…

Leia mais

“Un Cioran méconnu” (Mara Magda Maftei)

Romanica Olomucensia 29/1 (2017): 87-105, doi: 10.5507/ro.2017.007 Abstract: It is said that youth marks us for ever, that the past is never forgotten. What about when it comes to a controversial writer with a double culture, French-Romanian, and born in a turbulent historical context? This paper emphasizes some original matters concerning the writer Emil Cioran.…

Leia mais

“Ionesco escrevia contra dogmas” (Nelson Ascher)

Folha de S. Paulo, Caderno Mais!, 3 de abril de 1994 O escritor, morto no dia 28, lega absurdo ao cotidiano NELSON ASCHER ESPECIAL PARA A FOLHA Uma aluna chega à casa do professor para sua primeira aula e é recebida pela criada. Ela se comporta como uma jovem normal e o professor, como um…

Leia mais

“El nada centenario Cioran” (Abel Posse)

LA GACETA, Argentina, 24 de abril 2011 Crítico de la cultura de decadencia, moralista desilusionado, anarquista por despecho. A un siglo de su nacimiento, los temas del filósofo rumano mantienen su vigencia. El autor de Breviario de podredumbre criticaba a las “grandes sociedades” y creía que la idea del suicidio ayudaba a tolerar y potenciar…

Leia mais

“O último dândi”: entrevista de Cioran com Fernando Savater

Paris, outubro de 1990 — Completará, em breve, oitenta anos, e segue tão vivaz e alerta como sempre. Ninguém menos mórbido do que ele, ninguém menos lúgubre ou fastidiosamente solene. O melhor elogio a ele que me vem à cabeça é que não posso imaginá-lo “professor”: nasceu sem cátedra assim como outros a levam na…

Leia mais

“Unde Malum? Dualist(oid) and Gnostic Imaginary, from Folk Mythology to Modern Romanian Literature” (Nicoleta Popa Blanariu)

Transylvanian Review (Academia Română, Centrul de Studii Transilvane, Cluj-Napoca), XXV, 2 (summer 2016) Abstract: Our contribution attempts to respond to a gap in the investigation of the reminiscences of dualistic imaginary in modern literature and also in the Romanian reflection on the phenomenon. By approaching more thoroughly a theme that we have already discussed, from…

Leia mais

“Cioran, le flâneur aux idées noires” (Didier Sénécal)

L’EXPRESS,  01/05/1995 Notre plus illustre moraliste s’est choisi sa vie. En adoptant la langue française comme une patrie, en décidant de ne jamais travailler, en veillant quand le monde dort… Cioran est peut-être notre dernier écrivain légendaire. Grâce à son refus des projecteurs et à son indifférence aux honneurs, il a conservé une part de…

Leia mais

“Cioran et le rire” (Constantin Frosin)

Revue de littérature comparée, Klincksieck 2008/4 (no. 328) L’influence de Chamfort sur Cioran est manifeste, à plus d’un titre ; celle de La Bruyère également, comme on le verra. « La plus perdue de toutes les journées est celle où l’on n’a pas ri » dit Chamfort. Malheureusement pour le chercheur, Cioran n’aime guère citer qui que ce…

Leia mais

Homenaje: “Cioran o la voz de la conciencia”

EL TIEMPO, 21/06/1995 La muerte fue una reiteración en la escritura del filósofo rumano Emile Mihai Cioran, quien murió ayer en París a los 84 años, víctima de la enfermedad de alzheimer. Este es un luto para quienes siguieron sus obras, especialmente los jóvenes, que encontraron en sus desesperados aforismos las respuestas a muchas inquietudes…

Leia mais

A insônia da razão (Caderno Mais! – 12/02/1995)

“Ser desconhecido é uma volúpia” (entrevista publicada no extinto suplemento cultural Mais!, da Folha de São Paulo, 12/02/1995) — Fonte original Foi assim que consegui resolver o meu problema e tudo isso foi necessário para viver sem exercer uma profissão. Mas tudo isso acabou, os moços, hoje, não têm mais essa possibilidade. Tem moços que vêm…

Leia mais

“Thinkers and Liars”: review on Marta Petreu’s “An Infamous Past…” (Joseph Frank)

New Republic 14/11/06, Nov 16, 2006 In the aftermath of World War II, there was a great influx of refugees into the United States. Most came from countries where populations had been uprooted by the course of battle, or were escaping from a past that they were lucky to have survived. Some, however, were trying…

Leia mais

“Cioran, dandy bavard du désespoir” (Raphaël Enthoven)

L’ÉXPRESS, 01/11/2005 Nous ne courons pas vers la mort, nous fuyons la catastrophe de la naissance, nous nous démenons, rescapés qui essaient de l’oublier.” Emil Cioran est né le 8 avril 1911, d’un père pope et d’une mère indigne qui lui dit, un matin qu’il revenait, à vingt ans, du bordel, que “si elle avait su”, elle aurait…

Leia mais

“La escritura como expiación” (Rafael Conte)

El País, 23 Noviembre 2002 El breve relato que de un viaje a Ibiza realizó Emil M. Cioran (1911-1995) ayuda a comprender el misterio que impregna la obra del autor francorrumano. Su publicación en España coincide con la edición en Francia de un duro estudio sobre Cioran, Eliade e Ionesco, rumanos de nacimiento, fascistas en…

Leia mais

“Da Sensação de Elasticidade quando se Marcha sobre Cadáveres” (Matéi Visniec)

É Realizações, Coleção Matéi Visniec, 2012 (site oficial da editora) Tradução: Luiza Jatobá Número de Páginas: 168 É possível colocar os artistas e os poetas na prisão; mas, independentemente do que seja feito, não se pode silenciar sua capacidade de transcender às proibições para recuperar-se, à sua maneira, da enorme incongruência da situação. Numa Romênia…

Leia mais

Trei Scriitori în cǎtarea luminii (III)

Simona Modreanu – Convorbiri Literare Raportarea cioraniana la divinitate, care e permanenta, s-a concretizat mult timp într-o problematica ce s-a aflat îndelung în centrul preocuparilor sale, si anume mistica. Pentru Cioran, ea are sensul irumperii plenitudinii în continuitatea temporala, dar viziunea sa dezvaluie o diferenta deloc neglijabila între perspectivele religioase din Occident si din Orient,…

Leia mais

Romeno Matéi Visniec terá seu teatro completo publicado em livros no Brasil

Dramaturgia inspirada nos mestres do absurdo terá 8 textos lançados, anos depois de peças ganharem montagens ANTONIO GONÇALVES FILHO – Estadão, Sábado, 28 de Setembro de 2012 Ainda pouco conhecido no Brasil, mas considerado o novo Ionesco por críticos europeus, o dramaturgo romeno, naturalizado francês, Matéi Visniec, de 56 anos, terá sua obra teatral (mais de…

Leia mais

Interview de Simone Boué par Norbert Dodille

Simone Boué et Norbert Dodille, “Interview de Simone Boué par Norbert Dodille” dans Lectures de Cioran, Paris, L’Harmattan, 1997, p. 11-41 [Dodille.fr] Sans l’affectueuse pression de Marie-France Ionesco, il m’aurait été impossible de parvenir à arracher cette interview à Simone Boué qui s’y montrait extrêmement réticente. Cette interview est en effet la seule qu’elle ait jamais…

Leia mais

“Fé e razão: entrevista com o cardeal Gianfranco Ravasi” (Lisa Palmieri Billig)

Os agnósticos que buscam respostas muitas vezes estão mais próximos de Deus do que aqueles para os quais a fé é simplesmente um hábito mecânico”. Entrevista com Gianfranco Ravasi. O “Átrio dos Gentios”, expressão que se refere ao espaço aberto do antigo Templo de Jerusalém reservado aos não crentes e separados por um muro dos…

Leia mais

“A literatura romena entre a tradição e o cosmopolitismo” (Fernando Couto e Santos)

[PDF] Várias interrogações se colocam a um novo país após o seu surgimento. A menor das quais não será seguramente a maneira como se poderá afirmar culturalmente perante os demais. As suas tradições constituem efectivamente uma das formas mais genuínas de um país se singularizar, mas como pode um país afirmar a sua especificidade num…

Leia mais

“O monge que achou a liberdade na prisão” (Antonio Gonçalves Filho & Felipe Cherubin)

O Estado de S.Paulo – 16 de janeiro de 2010   Sai no Brasil O Diário da Felicidade, livro do pensador romeno Nicolae Steinhardt O Diário da Felicidade, primeiro livro do monge ortodoxo romeno Nicolae Steinhardt publicado no Brasil, chega às livrarias para apresentar ao leitor um autor praticamente desconhecido. Steinhardt, no entanto, foi um dos…

Leia mais

Autorenporträt E. M. Cioran II: Die Freiheit des Zweifelns

Geschrieben von: Johannes Schüller Blaue Narzisse, Montag, den 07. Mai 2012 um 09:47 Uhr Das 1918 entstandene „Großrumänien“ hatte nicht die besten Voraussetzungen. 25 Prozent der Bevölkerung bestanden aus Minderheiten, darunter Deutschen, Ungarn, Ukrainern oder Bulgaren. Dass dieses Reich nur von kurzer Dauer sein konnte, bewies der Hitler-Stalin-Pakt 1940. Trotz der deutschfreundlichen Regierung unter General Ion…

Leia mais

“Livro de Mircea Eliade traz concepção mitológica da história” (Manuel da Costa Pinto)

Folha de São Paulo, 10/02/2012 Historiador das religiões, Mircea Eliade (1907-1986) formou, com o “dramaturgo do absurdo” Eugène Ionesco e com o filósofo Emil Cioran, um célebre trio de intelectuais romenos radicado em Paris por volta da Segunda Guerra Mundial. Com este último, ele compartilhou um passado nebuloso de simpatias pela Guarda de Ferro (grupo…

Leia mais

“Le vie parallele di Cioran e Leopardi”: Intervista a Mario Andrea Rigoni di Antonio Castronuovo

Aforisticamente – L’Aforisma nel Mondo – Letture e Scritture Aforistiche Contemporanee Gentile prof. Rigoni, la sua avventura intellettuale è traversata da Leopardi e da Cioran. Vorrei che lei ci aiutasse a mettere a confronto l’uno con l’altro: che cosa li unisce e che cosa li separa? Condividevano l’esperienza capitale della noia, cioè il senso della…

Leia mais

“Emil Cioran: el filósofo demediado” (Juan Ángel Juristo)

Cuartopoder.es, 2 de abril de 2011 Estaba hace unas horas escuchando las intervenciones de Ignacio Vidal Folch , Héctor Subirats, colaborador de cuartopoder.es, y Fernando Savater en el salón de actos del Círculo de Lectores sobre sus encuentros con la obra y la figura de Cioran, actos encuadrados dentro de la Semana que el Instituto…

Leia mais

“O silêncio do dândi romeno” (Leda Tenório da Motta)

Especial para a Folha de São Paulo, Caderno Mais!, 17 de fevereiro de 1995 Com pudor inusual e ironia perfeita, Emil Michel Cioran renuncia à literatura em 1987, no exato momento em que está saindo de um longo anonimato para alcançar o que a muitos só teria aconselhado a continuar: reconhecimento da crítica, prêmios, que invariavelmente…

Leia mais