In dialogo con Mirko Integlia su «Tormented by God: The Mystical Nihilism of Emil Cioran»

ORIZZONTI CULTURALI ITALO-ROMENI, n. 12, dicembre 2019, anno IX È stato pubblicato da poco un nuovo libro su Cioran, uno importantissimo, a giudicare dal tema e dall’approccio: Tormented by God: The Mystical Nihilism of Emil Cioran (Libreria Editrice Vaticana, 2019), scritto dal filosofo e teologo Mirko Integlia. Un’approfondita analisi storico-ermeneutica di questo che l’esegeta concepisce come…

Leia mais

Cioran, o místico de uma era pós-Deus: entrevista com Mirko Integlia (1ª parte)

In memoriam: María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) “Às vezes tenho a impressão de que a obra de Cioran é interpretada como uma espécie de bazar, onde cada um se serve daquilo que quer, inclusive dos aspectos místicos-religiosos.” (Mirko Integlia) * [Pdf] Acaba de ser publicado, em inglês, um novo livro de exegese crítica sobre Cioran,…

Leia mais

“O Nascimento como Problema Bioético” (Julio Cabrera)

Programa de Pós-graduação em Bioética da Universidade de Brasília (UnB), maio de 2018 Conferência: “O Nascimento como Problema Bioético: Primeiros passos para uma Bioética Radical” [Birth as a Bioethical Problem: First Steps Towards a Radical Bioethics] Julio Cabrera é um filósofo argentino que atualmente vive no Brasil, professor aposentado do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília e ex-chefe deste departamento. Já…

Leia mais

Schopenhauer, pessimismo filosófico e a recepção brasileira de Cioran: Ciprian Vălcan em diálogo com Flamarion Caldeira Ramos

Entrevista originalmente publicada em ARCA – Revistã lunarã de literaturã, eseu, arte vizuale, muzicã (fondatã în februarie 1990 la Arad), anul XXV, nr. 4-5-6, 2014, e incluída no volume Cioran, un aventurier nemişcat. 30 de interviuri [Cioran, um aventureiro imóvel. 30 entrevistas] (Bucureşti, Editura ALL, 2015), com 30 entrevistas feitas por Ciprian Vălcan com de exegetas de Cioran de todo o mundo, das…

Leia mais

“La profundidad de Dios El nihilismo místico implícito en el pensamiento de Eckhart” (Héctor Sevilla Godínez)

Veritas. Revista de Filosofía y Teología, núm. 38, diciembre, 2017, pp. 121-140. Pontificio Seminario Mayor San Rafael, Valparaíso, Chile Resumen El principal objetivo de este escrito reside en mostrar algunos de los elementos esenciales del proyecto eckhartiano que están fusionados con una mística nihilista que observa (sin observar) en la nada una manifestación de la…

Leia mais

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 1] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

FIORE, Vincenzo. Emil Cioran. La filosofia come de-fascinazione e la scrittura come terapia. Piazza Armerina/Enna: Nulla Die, 2018, 187 pp. A Itália é um dos países mais produtivos, atualmente, no que se refere à fortuna crítica cioraniana. Todo ano são publicados novos estudos, produções acadêmicas e editoriais, além de correspondências epistolares inéditas do próprio Cioran.[1]…

Leia mais

“Gnosticismo e Niilismo em Hans Jonas: o pneumáticos gnóstico enquanto primórdio do ‘indivíduo autêntico’ existencialista” (Renzo Nery)

intuitio – Revista do PPG em Filosofia da PUC-RS Resumo: O presente trabalho tem como objetivo analisar alguns aspectos relacionais do gnosticismo dos primeiros séculos cristãos e sua relação com o niilismo moderno, por meio da “interpretação existencial do gnosticismo” de Hans Jonas. Um desses aspectos investiga o esforço intelectual do filósofo em localizar no…

Leia mais

“A interpretação analógica das relações entre niilismo gnóstico e niilismo existencialista segundo Hans Jonas” (Jelson R. de Oliveira)

SÍNTESE – Revista de Filosofia, vol. 41, no. 129 (2014), pps. 101-127. Resumo: Pretende-se examinar as principais teses da análise hermenêutica realizada por Hans Jonas sobre o movimento gnóstico antigo, bem como estudar as principais formulações analógicas que lhe permitem afirmar que o dualismo está na base da formulação das ideais gnósticas, e que ele…

Leia mais

Resenha: “Schopenhauer, niilismo e redenção”, de Eli Vagner Francisco Rodrigues (por Cláudia Franco Souza)

VOLUNTAS – Estudos sobre Schopenhauer, vol. no. 1, 2017 Livro: RODRIGUES, Eli Vagner Francisco. Schopenhauer, niilismo e redenção. Campinas: Editora Phi, 2017. 143 p. Resenha: Cláudia Franco Souza, pós-doutoranda em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), bolsista FAPESP. A partir do século XIX o niilismo se torna um tema central da histo ria da…

Leia mais

“Os muros absurdos” (Albert Camus)

Como as grandes obras, os sentimentos profundos sempre significam mais do que têm consciência de dizer. A constância de um movimento ou repulsão dentro da alma se reconhece em hábitos de fazer ou de pensar e se persegue em conseqüências que a própria alma ignora. Os grandes sentimentos trazem junto com eles seu universo, esplêndido…

Leia mais

“Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

O Globo, 20 de janeiro de 1996 A filosofia de Cioran não constitui uma arquitetura abstrata de conceitos ideais. Meditação fundamentalmente impura, deriva de um estado de espírito, de uma obsessão mais do que se uma ideia a priori. Filósofo que parte dos afetos, das “misérias do eu”, Cioran conheceu, em sua reflexão errática, momentos…

Leia mais

“Do conhecimento religioso: sobre um texto de juventude e sua repercussão na obra de Cioran” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Além de um sentimento fundamental da existência, a categoria do religioso designa também um tipo especial de conhecimento, aquele que mais importa para Cioran. Num artigo publicado na Revista Teologică (1932), “A estrutura do conhecimento religioso“, o jovem estudante de filosofia na Universidade de Bucareste faz a crítica do racionalismo e afirma a “preeminência do…

Leia mais

“Niilismo, existencialismo e gnosticismo: a hermenêutica existencial de Franco Volpi” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

A obra de Heidegger, leitor de Nietzsche, apresenta um paradoxo que é o mesmo de boa parte do pensamento contemporâneo: “Nela, com efeito, parecem tocar-se e conviver dois extremos incompatíveis: de um lado, um niilismo radical; de outro, o convite a uma visão inspirada, senão mesmo ao misticismo.”[i] Daí, segundo Volpi, em face dos escritos…

Leia mais

“Niilismo, existencialismo, gnose” (Franco Volpi)

A obra de Heidegger oferece, com certeza, fundamental contribuição para a análise do niilismo europeu. No entanto, em última instância, ela apresenta um paradoxo singular, que é também o paradoxo de uma parte importante do pensamento contemporâneo. Nela, com efeito, parecem tocar-se e conviver dois extremos incompatíveis: de um lado, um niilismo radical; de outro,…

Leia mais

“Gnosticism & Modern Nihilism” (Ioan P. Culianu)

Wo keine Göter sind, walten Gespenster. — NOVALIS 1. The Birth of Nihilism The intention here is not to summarize the debate surrounding nihilism, a concept that appeared in 1799 and continues to be a very live option. I It will suffice to sketch in a few lines the essence of this “uncanny guest” (Nietzsche)…

Leia mais

“Transcender Deus de Eckhart a Silesius” (Paulo Borges)

Philosophica, 34, Lisboa, 2009, pp. 439-457. Transcender Deus, transcender o transcendente, como supremo cumprimento da mais perfeita vida religiosa? Pretendemos compreender o sentido desta proposta em dois dos autores que mais explicitamente a formularam – Mestre Eckhart e Angelus Silesius – e ponderar como ela, ao desvelar uma instância não só a-teológica, mas também a-teia,…

Leia mais

“Prometeu desacorrentado – a responsabilidade pelos viventes vindouros na filosofia de Hans Jonas (1903 – 1993)” (Eduardo Carli de Moraes)

Publicado originalmente em A CASA DE VIDRO:
PROMETEU DESACORRENTADO A responsabilidade pelos viventes vindouros na filosofia de Hans Jonas (1903 – 1993). Comentários sobre “O Princípio Responsabilidade – Ensaio de uma Ética para a Civilização Tecnológica” [Wikipedia] por Eduardo Carli de Moraes / A Casa de Vidro.com Conta a lenda que Prometeu, após ter roubado o…

Leia mais

“The Lonely Landscape: Poetic Existence (Heidegger and Cioran)” (Simon Obirek)

My favourite game of all time is Shadow of the Colossus. I’ve been playing it a lot, and I made this video essay to illustrate just how much Fumito Ueda and Team ICO say about our existence as human beings. There’s a lot of existentialism in the game, which is closer to poetry than video…

Leia mais

“Cioran und die Philosophie” (Mădălina Diaconu)

POLYLOG – Zeitschrift für Interkulturelles Philosophieren, no. 35, 2016 Cioran hat sich schon früh von der akademischen Philosophie verabschiedet, was allerdings Philosophen (zum Teil sogar bekannte Philosophen wie Peter Sloterdijk oder Fernando Savater) nicht daran gehindert hat, sich mit ihm auseinanderzusetzen und sogar seine Beziehung zur Philosophie ins Auge zu fassen. Diese Reihe wird nun…

Leia mais

“The Significance of Insignificance : Two Ways to Learn to Die in an Egocentric World” (Jeremy J. Wisnewski)

Journal of Philosophy of Life, vol. 5, no.2 (August 2015):42-61 Abstract: The claim that philosophy is training for death has an astonishing pedigree. In both the East and the West, the oldest philosophical traditions maintain that philosophy’s central function involves coming to terms with mortality. My aim is to sketch two approaches to this question,…

Leia mais

“Léon Chestov et la pensée du dehors” (Ramona Fotiade)

Europe – Revue Littéraire Mensuelle, 87e année, n° 960 / avril 2009. BIEN AVANT Foucault, Deleuze et Derrida, il y eut, au début du siècle à peine révolu, qui allait si singulièrement faire basculer nos repères et nos certitudes, un de ces « partisans », « francs-tireurs » ou « aventuriers de la pensée »…

Leia mais

“The last side of hope: Cioran and Adorno” (Ovidiu-Marius Bocşa)

The Proceedings of the International Conference Literature, Discourse and Multicultural Dialogue Volume no. 2, 2014 Conference date: 4-5 December 2014 Location: Tîrgu-Mureș, Mureș Editorial Information: Iulian Boldea (Coordinator) Identities in Metamorphosis. Literature, Discourse and Multicultural Dialogue, Arhipelag XXI Press, Tîrgu-Mureș, Mureș, 2014, ISBN: 978-606-93691-9-7 (C) Arhipelag XXI Press, 2014 Abstract: Three things I have to say here,…

Leia mais

“Parisian Buddhism: Cioran’s exercises” (Peter Sloterdijk)

The last figure I wish to present in these introductory reflections, the Romanian aphorist Emile M. Cioran, who was born in 1911 and lived in Paris from 1937 to 1995, is likewise part of the great turn that is at issue here. He is an important informant for us, because one can see in his…

Leia mais

“The Absurd and the Accedia as a major existentials in Cioran’s Udemiologic Analytics” (Vasile Chira)

REVISTA TEOLOGICA no.  97 (2015), nr. 4, p. 162-173 Abstract: The Cioran’s existentials are derivable and intelligible from nothingness with which the Roman philosopher substitute the transcendence. Nonsense of life not purely abstract notion, but a sensitive transcription of absurdity, translates to experience vertigo. This is the refutation par excellence of vertical position of the…

Leia mais

“Saudade et nostalgie de l’absolu chez Fernando Pessoa et Emil Cioran” (Paulo Borges)

ANALE SERIA DREPT, volumul XXVI, 2017, Universitatea “Tibiscus” din Timișoara Title: Saudade and the Nostalgia of the Absolute in Fernando Pessoa’s and Emil Cioran’s Works Abstract: Driven by a common rejection or questioning of self-centered individuation, Fernando Pessoa and Emil Cioran live, in a different way, what can be considered the most daring and radical adventure,…

Leia mais

“E.M. Cioran: seductor del silencio” (José Luis Álvares López Tello)

ANALE SERIA DREPT, volumul XXVII, 2008, Universitatea “Tibiscus” din Timișoara Title: E. M. Cioran: Seducer of Silence Abstract: In this writting I explore the attempt of mutism that is treated by Cioran throughout all his philosophical work, aspect wich always seduced him. In the same way, there are also shown some of the implications and consecuences…

Leia mais

O budismo e o “silêncio sobre Deus”: entrevista de Faustino Teixeira à monja Coen Roshi

Blog da monja Coen Roshi NEM ATEU, NEM NIILISTA. Esses adjetivos são incorretos para se entender o budismo, que advoga o “silêncio sobre Deus” como uma maneira de questionar as “tentativas ilusórias e problemáticas que acompanham as tradicionais perguntas sobre Deus: muitas vezes são perguntas incorretas, indevidas e lesivas da “transcendência da realidade à qual…

Leia mais

“O reinado do falso Nietzsche” (Clément Rosset)

FOLHA DE S. PAULO, 8 de junho de 2003 Há muito poucos filósofos por século; teríamos dificuldade de encontrar mais de 20 desde Parmênides: no que se refere ao século 20, conheço apenas dois, Bergson e Wittgenstein 1. Nietzsche, sem hesitação. Sem as leituras de Nietzsche, particularmente “O Nascimento da Tragédia”, por volta dos 18 anos,…

Leia mais

“Maneiras de ignorar Nietzsche” (Clément Rosset)

FOLHA DE S. PAULO, Caderno Mais!, 6 de agosto de 2000 Filósofo comenta os tipos de traição póstuma impostos ao autor de “A Gaia Ciência” Pode-se dizer dos Estados Unidos da América, não sem maldade nem, sem dúvida, com um pouco de injustiça que eram uma das raras nações do mundo a ter evoluído diretamente…

Leia mais

“Shestov, or the purity of despair” (Czeslaw Milosz)

Emperor of the Earth: modes of eccentric thinking, University of California Press, Berkeley, 1977, pp. 99-119 There was once a young woman by the name of Sorana Gurian. She emigrated to Paris in the 1950s from her native Rumania after adventures about which, she felt, the less said the better. In Paris her life of…

Leia mais

“Heidegger e Cioran leitores de Nietzsche: repercussões da questão do niilismo nos pensamentos do ser e do nada” (Filipe Caldas Oliveira Passos)

Revista Lampejo, nº 6 – 02/2014 FILIPE CALDAS OLIVEIRA PASSOS – Professor do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Resumo: O presente artigo aborda a influência da filosofia de Nietzsche, mais especificamente, da questão do niilismo, nos pensamentos de Heidegger e Cioran, salientando o modo como essa influência contribuiu para a divergência de…

Leia mais