“Jacob’s struggle with the angel” (Alec Wilkinson)

THE NEW YORKER, June 15, 2015 The passage that recurs in my life is that of Jacob wrestling the angel. For many artists, it is a metaphor for the struggle to subdue one’s talent so that it collaborates with one’s ambitions to create.  I cannot separate the Bible from my father. In the middle of…

Leia mais

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 2] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Na primeira parte do livro, “Uma juventude entre desespero e fervor político”, Fiore perfaz o itinerário de formação do jovem Cioran na Romênia da década de 30, explorando a dualidade de uma juventude dividida entre o desespero existencial e o fervor político. Não se faz política nos cumes do desespero. Schimbarea la faţă a României…

Leia mais

“Há poetas gnósticos?” (Claudio Willer)

Revista Terceira Margem – Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura da UFRJ, vol. 19, no. 31, 2015 Resumo: O presente ensaio retoma o que já escrevi sobre gnosticismo e poesia, e sobre poetas gnósticos. Examina o trânsito entre doutrinas aparentemente opostas, a gnose pessimista e aquela otimista do Corpus Hermeticum. Reconhece que há mais poetas gnósticos;…

Leia mais

Profetismo, apocalipticismo, gnosticismo (Harold Bloom)

O gnosticismo, então e agora, em minha opinião, se levanta como um protesto contra a fé apocalíptica, mesmo quando o faz dentro de uma dessas fés, como fez sucessivamente no judaísmo, cristianismo e Islã. A religião profética torna-se apocalíptica quando a profecia falha, e a religião apocalíptica torna-se gnóstica quando o apocalipse falha, como felizmente…

Leia mais

“Visões de anjos” (Harold Bloom)

Os anjos são tudo, menos imagens efêmeras. A sequência histórica de religiões ocidentais — zoroastrismo, judaísmo, cristianismo, Islã — não soube contar a história de suas verdades sem intercessões angélicas, nem há grande tradição religiosa, oriental ou ocidental, que não dependa de anjos. A vida espiritual, expressa no culto ou na prece, na contemplação privada…

Leia mais

“Do conhecimento religioso: sobre um texto de juventude e sua repercussão na obra de Cioran” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Além de um sentimento fundamental da existência, a categoria do religioso designa também um tipo especial de conhecimento, aquele que mais importa para Cioran. Num artigo publicado na Revista Teologică (1932), “A estrutura do conhecimento religioso“, o jovem estudante de filosofia na Universidade de Bucareste faz a crítica do racionalismo e afirma a “preeminência do…

Leia mais

“Um -ismo ocioso: a crítica de Michael Allen Williams ao conceito de gnosticismo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Em Rethinking Gnosticism: An Argument for Dismantling a Dubious Category [Repensando o Gnosticismo: Um Argumento para Desmantelar uma Categoria Duvidosa] (1999), Michael Allen Williams argumenta que o termo “gnosticismo” se tornou, no discurso moderno, “um rótulo tão proteiforme que perdeu qualquer sentido confiável e identificável pelo grande público leitor”.[i] Mais ou menos como “niilismo”: de…

Leia mais

“O visitante de um mundo abandonado pelo seu demiurgo: Sylvie Jaudeau e o gnosticismo ateu de Cioran (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

As nossas fontes gnósticas, por mais distantes que pareçam, não deixam de inspirar ainda a nossa literatura. Menos de uma maneira direta (poucos escritores de fato conhecem esse período da nossa história reservado aos eruditos) quanto de maneira inconsciente. Eu não falo de uma referência histórica, mas de uma impregnação da sensibilidade por toda uma…

Leia mais

Gnose e imaginação poética, por Harold Bloom

Desejo acentuar aqui, no início, minha própria convicção de que é infrutífero literalizar ou descartar a experiência espiritual — antiga, medieval ou contemporânea. Essa convicção é pragmática, e sigo William James no reconhecer as experiências religiosas importantes como autênticas diferenças: uma das outras e entre nós. Para muitos dos antigos, os fenômenos dos anjos, sonhos…

Leia mais

“Um pessimismo (mui) pouco trágico: Cioran lido por Clément Rosset” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Trata-se de contrapor e fazer dialogar duas filosofias, dois modo de pensar (o homem, a existência, a vida e a morte, o tempo) que têm muito em comum, mas cujas conclusões podem ser radicalmente divergentes: a filosofia trágica, afirmativa e aprobatória de Clément Rosset (tendo como corolário a alegria como force majeure), na linha de…

Leia mais

“Why we fail and how” (Costica Bradatan)

LOS ANGELES REVIEW OF BOOKS, September 24, 2017 DIOGENES THE CYNIC (c. 412 BC–323 BC) apparently had to flee his native city of Sinope because he was caught in a scandal involving the defacement of Sinopean currency. He managed to save face, though, and switched from a failing career in counterfeiting to a more promising…

Leia mais

“Gnosticism & Modern Nihilism” (Ioan P. Culianu)

Wo keine Göter sind, walten Gespenster. — NOVALIS 1. The Birth of Nihilism The intention here is not to summarize the debate surrounding nihilism, a concept that appeared in 1799 and continues to be a very live option. I It will suffice to sketch in a few lines the essence of this “uncanny guest” (Nietzsche)…

Leia mais

“Ensaio herético sobre a atualidade da gnose” (Otávio Velho)

Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 34-52, jun. 1998 Resumo: O objetivo desta comunicação é sugerir o interesse para os estudiosos da religião em examinar a hipótese da atualidade da gnose (ou do gnosticismo) a partir de recentes trabalhos do escritor Harold Bloom. Ao mesmo tempo, trata de colocar as possibilidades levantadas…

Leia mais

“Unde Malum? Dualist(oid) and Gnostic Imaginary, from Folk Mythology to Modern Romanian Literature” (Nicoleta Popa Blanariu)

Transylvanian Review (Academia Română, Centrul de Studii Transilvane, Cluj-Napoca), XXV, 2 (summer 2016) Abstract: Our contribution attempts to respond to a gap in the investigation of the reminiscences of dualistic imaginary in modern literature and also in the Romanian reflection on the phenomenon. By approaching more thoroughly a theme that we have already discussed, from…

Leia mais

“As revelações da insônia: escritura e autobiografia em Cioran” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Versão revisada e ampliada a partir do original “Les révélations de l’insomnie : écriture et autobiographie chez Cioran”, in Anale. Seria Drept, volumul XXVII (2018), la editura Mirton Timisoara, ISSN 1582-9359. Facultatea de Drept şi AdministraÅ£ie Publică, Universitatea Tibiscus din Timişoara. [Baixar PDF] Resumo: Toda autobiografia espiritual é uma canção do eu, escreveu Harold Bloom. Esta…

Leia mais

“Gnosticismo cristão: Valentino e a ressurreição” (Harold Bloom)

MUITOS SIGNIFICADOS podem estar envolvidos quando a maioria de nós afirma: “Eu creio em Deus”, ou “Eu creio que Jesus Cristo foi e é o Filho de Deus”, ou “Não há outro Deus além de Alá, e Maomé foi o selo dos Profetas”, ou “Eu creio na Aliança”. A crença em que alguma coisa foi,…

Leia mais

“Les révélations de l’insomnie” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

La vérité réside dans le drame individuel. Si je souffre réellement, je souffre beaucoup plus qu’un individu, je dépasse la sphère de mon moi, je rejoins l’essence des autres. La seule manière de nous acheminer vers l’universel est de nous occuper uniquement de ce qui nous regarde. De l’inconvénient d’être né Ma mission est de…

Leia mais

“Autodependência ou simples gnosticismo” (Harold Bloom)

1. Quero convidar homens encharcados de Tempo a recuperar-se e sair do Tempo, e provar seu imortal ar nativo. – EMERSON Se nos buscamos fora de nós mesmos, encontraremos a catástrofe, erótica ou ideológica. Deve ser por isso que Ralph Waldo Emerson, em seu fundamental ensaio “Self-reliance” [Autodependência] (1840), observou que “viajar é o paraíso…

Leia mais

“Cioran’s clinamen. A Case Analysis of a Philosophical Influence” (Daria Lebedeva)

PhD dissertation supervised by Prof. Dr.Hab. Agata Bielik-Robson. Graduate School for Social Research, Institute of Philosophy and Sociology,  Polish Academy of Sciences., Warsaw, 2012. [Full text] Table of Content: The role of influence in becoming a philosopher: the case of Emile Cioran 1.1. Harold Bloom’s clinamen tested on the writings of Emile Cioran 1.2. Emile…

Leia mais

Entrevista: Rodrigo Inácio R. Sá Menezes em diálogo com Ciprian Vălcan

ARCA – Revistă de literatură, eseu, arte vizuale, muzică, no. 1-2-3, 2018. „Cioran ne retrimite la noi înşine, pentru a înfrunta abisurile şi deşerturile pe care le locuim şi în faÅ£a cărora suntem absolut singuri.” [versão original] “Cioran nos reenvia a nós mesmos, fazendo-nos encarar os abismos e desertos que nos habitam, e frente aos quais…

Leia mais

“Coda: nem pela fé, nem pelos anjos (um sermão gnóstico)” (Harold Bloom)

In: Presságios do milênio: anjos, sonhos e imortalidade (Rio de Janeiro, Objetiva, 1996) “O que nos liberta é a Gnose de quem éramos do que nos tornamos de onde estávamos de onde fomos lançados de para onde corremos do que estamos sendo libertados do que é de fato o nascimento do que é de fato o renascimento”…

Leia mais

“Emil Cioran e Harold Bloom: afinidades espirituais” (Rodrigo I. R. Sá Menezes)

Je suis spirituellement, et géographiquement, un bogomile. Cioran, Cahiers : 1957-1972 Um nunca mencionou o outro, ainda que seja improvável que não soubessem da existência um do outro; alguns silêncios são significativos – dizem mais do que todas as palavras juntas. No entanto, as afinidades entre o crítico literário norte-americano e o filósofo romeno de expressão…

Leia mais

Javé não é amor (Harold Bloom)

NA VERDADE, o cristianismo e o islamismo, bem como as religiões asiáticas, herdarão a Terra que restar, que sobreviver ao ataque ao meio-ambiente perpetrado pela plutocracia norte-americana. Sou levado a concluir que Javé partiu em exílio voluntário, abandonando a Antiga Aliança, e se encontra no espaço sideral, amargando o desamor. […] Não faz muito sentido…

Leia mais